Desastres naturais

06/07/2022 15:45h

Municípios estão localizados nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Minas Gerais e Pará

Baixar áudio

A Defesa Civil Nacional reconheceu, nesta quarta-feira (6), a situação de emergência em oito cidades das regiões Sul, Sudeste e Norte atingidas por desastres naturais. As portarias com os reconhecimentos federais foram publicadas no Diário Oficial da União (DOU). Confira aqui aqui.

No Rio Grande do Sul, a cidade de Chapada registrou enxurradas, assim como a catarinense Armazém. Também em Santa Catarina, Agronômica foi afetada por inundações, Gravatal, por alagamentos, e Praia Grande, por ciclones e ventos costeiros.

Em Minas Gerais, o município de Capelinha foi atingido por chuvas intensas e São José da Safira, por vendavais. Por fim, a cidade de Prainha, no Pará, registrou inundações.

Como solicitar recursos federais

Após a concessão do status de situação de emergência pela Defesa Civil Nacional, os municípios atingidos por desastres estão aptos a solicitar recursos do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) para atendimento à população afetada. As ações envolvem restabelecimento de serviços essenciais e reconstrução de equipamentos de infraestrutura danificados.

A solicitação deve ser feita por meio do Sistema Integrado de Informações sobre Desastres (S2iD). Com base nas informações enviadas, a equipe técnica da Defesa Civil Nacional avalia as metas e os valores solicitados. Com a aprovação, é publicada portaria no DOU com a especificação do montante a ser liberado.

Capacitações da Defesa Civil Nacional

A Defesa Civil Nacional oferece uma série de cursos a distância para habilitar e qualificar agentes municipais e estaduais para o uso do S2iD, a partir do Plano de Capacitação Continuada em Proteção e Defesa Civil. As capacitações têm como foco os agentes de proteção e defesa civil nas três esferas de governo. Confira neste link a lista completa dos cursos de capacitação.

Copiar o texto
05/07/2022 15:25h

Desde o início do desastre, na sexta-feira (1), a Defesa Civil Nacional vem estabelecendo uma série de ações emergenciais para apoiar o estado

Baixar áudio

A Defesa Civil Nacional reconheceu a situação de emergência em 16 cidades de Alagoas afetadas por chuvas intensas. Estão na lista os municípios de Atalaia, Branquinha, Cacimbinhas, Cajueiro, Capela, Limoeiro de Anadia, Murici, Pão de Açúcar, Paulo Jacinto, Quebrangulo, Santana do Mundaú, São José da Laje, Satuba, Taquarana, União dos Palmares e Viçosa. Confira as portarias do Diário Oficial da União (DOU) aqui aqui.

Desde o início das chuvas em Alagoas, na sexta-feira (1), a Defesa Civil Nacional vem estabelecendo uma série de ações emergenciais para apoiar o estado. Saiba mais neste link.

Como solicitar recursos federais

Após a concessão do status de situação de emergência pela Defesa Civil Nacional, os municípios atingidos por desastres estão aptos a solicitar recursos do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) para atendimento à população afetada. As ações envolvem restabelecimento de serviços essenciais e reconstrução de equipamentos de infraestrutura danificados.

A solicitação deve ser feita por meio do Sistema Integrado de Informações sobre Desastres (S2iD). Com base nas informações enviadas, a equipe técnica da Defesa Civil Nacional avalia as metas e os valores solicitados. Com a aprovação, é publicada portaria no DOU com a especificação do montante a ser liberado.

Capacitações da Defesa Civil Nacional

A Defesa Civil Nacional oferece uma série de cursos a distância para habilitar e qualificar agentes municipais e estaduais para o uso do S2iD, a partir do Plano de Capacitação Continuada em Proteção e Defesa Civil. As capacitações têm como foco os agentes de proteção e defesa civil nas três esferas de governo. Confira neste link a lista completa dos cursos de capacitação.

Copiar o texto
04/07/2022 17:35h

Neste ano, já foram liberados R$ 20,4 milhões para ações de resposta a desastres naturais no estado e R$ 170 milhões para apoiar municípios brasileiros atingidos por chuvas intensas

Baixar áudio

A Defesa Civil Nacional realizou, nesta segunda-feira (4), uma coletiva de imprensa sobre as fortes chuvas que atingem o estado de Alagoas desde a última sexta-feira (1º). Estavam presentes os ministros do Desenvolvimento Regional, Daniel Ferreira, e da Cidadania, Ronaldo Bento.

Daniel Ferreira iniciou a coletiva alertando que ainda há previsão de chuva para a região nas próximas horas e, consequentemente, risco de deslizamentos e transbordamentos. Portanto, a orientação para os moradores é manter as medidas de autoproteção e prestar atenção nos alertas e comunicados enviados pela Defesa Civil Nacional.

No último sábado (2), a Defesa Civil Nacional mobilizou e enviou para Alagoas uma equipe do Grupo de Apoio a Desastres (Gade) para ajudar os municípios mais atingidos pelas chuvas. Os profissionais estão ajudando no preenchimento de formulários para a solicitação de liberação de recursos.

Ferreira destacou, também, que as Forças Armadas e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) já foram acionadas para ajudar no resgate de vítimas, assim como equipes do Ministério da Saúde. Além disso, serão instaladas três salas de operação nas cidades de Maceió, Viçosa e União dos Palmares para ajudar nas ações de resposta ao desastre. As salas vão permanecer ativas até que a situação seja normalizada, com reuniões diárias dos órgãos que compõem o Sistema Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sinpdec).

Recursos e reconhecimentos

Neste ano, já foram liberados R$ 20,4 milhões para ações de resposta a desastres naturais em Alagoas. Em âmbito nacional, a liberação de recursos chegou a R$ 170 milhões para apoiar municípios atingidos por chuvas intensas.

Nesta segunda, também foi reconhecida a situação de emergência em 15 municípios alagoanos: Atalaia, Branquinha, Cacimbinhas, Cajueiro, Capela, Limoeiro de Anadia, Murici, Pão de Açúcar, Paulo Jacinto, Santana do Mundaú, São José da Laje, Satuba, Taquarana, União dos Palmares e Viçosa. A portaria com os reconhecimentos federais foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União (DOU). 

Com isso, as cidades poderão solicitar recursos federais para ações de socorro e assistência humanitária. O valor a ser liberado depende da necessidade de cada município, de acordo com plano de ação a ser apresentado ao Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR).

A liberação de recursos federais ocorre em três etapas: no primeiro momento, são liberados recursos para as ações de assistência humanitária, dando prioridade à compra de kits de higiene e limpeza, colchões, cestas básicas, entre outros itens.

Na segunda etapa, é elaborado um plano de trabalho para o restabelecimento de serviços essenciais, com limpeza urbana, religação de energia e abastecimento de água. A terceira etapa é quando o município solicita, até 90 dias depois do término das ocorrências, recursos para reconstrução de áreas e moradias comprovadamente destruídas pelo desastre.

Ações emergenciais

Uma equipe técnica do Ministério da Cidadania, responsável pela coordenação do Sistema Único de Assistência Social, também foi enviada ao estado para ajudar na gestão de alojamentos provisórios para as famílias desabrigadas e na compra de insumos básicos.

Durante a coletiva, o ministro da Cidadania, Ronaldo Bento, anunciou a antecipação do pagamento do Benefício de Prestação Continuada (BPC) a 112 mil famílias alagoanas. Além disso, idosos e pessoas com deficiência ainda poderão antecipar mais uma parcela integral do benefício.

As cidades alagoanas que registraram ocorrências são Atalaia, Branquinha, Cacimbinha, Cajueiro, Capela, Colônia Leopoldina, Jacuípe, Jundiá, Limoeiro de Anadia, Maceió, Major Isidoro, Maragogi, Marechal Deodoro, Murici, Paulo Jacinto, Pilar, Quebrangulo, Rio Largo, Santana do Mundaú, São José da Lage, Satuba, Taquarana, União dos Palmares e Viçosa.

Atualmente, a população brasileira recebe alertas de desastres via Telegram, TV por assinatura, Google e, também, por SMS. Para isso, basta enviar o CEP da região onde mora para o número 40199 e começar a receber os avisos.

Recomendações

O coordenador-geral de Gerenciamento de Desastres do Centro Nacional de Riscos e Desastres (Cenad) da Defesa Civil Nacional, Tiago Molina Schnorr, destaca as medidas de prevenção que devem ser tomadas pela população das regiões castigadas pelas fortes chuvas para minimizar os danos.

“São recomendadas diversas ações para proteger a população. A primeira é ficar bastante atento para as informações publicadas pelos órgãos oficiais, principalmente os locais. Além disso, é preciso ter cuidado com as notícias não oficiais, que nem sempre estão corretas e podem trazer risco adicional”, destaca Schnorr.

O coordenador-geral do Cenad também explicou o que deve ser feito nos locais com risco de deslizamento. “É importante que a população fique atenta a qualquer sinal de movimentação do terreno, rachaduras, árvores e postes inclinados. Se houver risco iminente, a residência deve ser desocupada imediatamente”, alertou Tiago Schnorr. “Também é importante a atenção a qualquer sinal de elevação de rios, alagamentos e enxurradas nas ruas e à subida das águas, para não serem pegos desprevenidos. Além disso, deve-se desligar aparelhos de energia da tomada, a chave-geral, encanamento de gás e de água”, acrescenta.

Copiar o texto
04/07/2022 17:27h

Medida contempla os municípios de Braço do Norte, Braço do Trombudo e Iomerê

Baixar áudio

A Defesa Civil Nacional reconheceu a situação de emergência em três cidades de Santa Catarina atingidas por desastres naturais. Braço do Norte registrou enxurradas, Braço do Trombudo, deslizamentos, e Iomerê foi vítima de chuvas intensas. A portaria que concede o status foi publicada na edição desta segunda-feira (4) do Diário Oficial da União (DOU).

Além disso, a Defesa Civil Nacional também concedeu o reconhecimento de situação de emergência em 12 cidades de Alagoas, Amazonas, Bahia, Pernambuco e Rio Grande do Norte que também registraram desastres naturais. A lista completa pode ser acessada neste link.

Como solicitar recursos federais

Após a concessão do status de situação de emergência pela Defesa Civil Nacional, os municípios atingidos por desastres estão aptos a solicitar recursos do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) para atendimento à população afetada. As ações envolvem restabelecimento de serviços essenciais e reconstrução de equipamentos de infraestrutura danificados.

A solicitação deve ser feita por meio do Sistema Integrado de Informações sobre Desastres (S2iD). Com base nas informações enviadas, a equipe técnica da Defesa Civil Nacional avalia as metas e os valores solicitados. Com a aprovação, é publicada portaria no DOU com a especificação do montante a ser liberado.

Capacitações da Defesa Civil Nacional

A Defesa Civil Nacional oferece uma série de cursos à distância para habilitar e qualificar agentes municipais e estaduais para o uso do S2iD, a partir do Plano de Capacitação Continuada em Proteção e Defesa Civil. As capacitações têm como foco os agentes de proteção e defesa civil nas três esferas de governo. Confira neste link a lista completa dos cursos de capacitação.

Copiar o texto
Desenvolvimento Regional
04/07/2022 16:48h

Medida contempla os municípios de Anamã, Autazes, Benjamin Constant, Jutaí, Parintins, Tefé e Urucurituba

Baixar áudio

A Defesa Civil Nacional reconheceu a situação de emergência em sete cidades do Amazonas atingidas por inundações. Estão na lista Anamã, Autazes, Benjamin Constant, Jutaí, Parintins, Tefé e Urucurituba. A portaria que concede o status foi publicada na edição desta segunda-feira (4) do Diário Oficial da União (DOU).

Além disso, a Defesa Civil Nacional também concedeu o reconhecimento a mais oito cidades em Alagoas, Bahia, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Santa Catarina que também registraram desastres naturais. A lista completa pode ser acessada neste link.

Como solicitar recursos federais

Após a concessão do status de situação de emergência pela Defesa Civil Nacional, os municípios atingidos por desastres estão aptos a solicitar recursos do MDR para atendimento à população afetada. As ações envolvem restabelecimento de serviços essenciais e reconstrução de equipamentos de infraestrutura danificados.

A solicitação deve ser feita por meio do Sistema Integrado de Informações sobre Desastres (S2iD). Com base nas informações enviadas, a equipe técnica da Defesa Civil Nacional avalia as metas e os valores solicitados. Com a aprovação, é publicada portaria no DOU com a especificação do montante a ser liberado.

Capacitações da Defesa Civil Nacional

A Defesa Civil Nacional oferece uma série de cursos à distância para habilitar e qualificar agentes municipais e estaduais para o uso do S2iD, a partir do Plano de Capacitação Continuada em Proteção e Defesa Civil. As capacitações têm como foco os agentes de proteção e defesa civil nas três esferas de governo. Confira neste link a lista completa dos cursos de capacitação.

Copiar o texto
04/07/2022 16:06h

Municípios de Alagoas, Amazonas, Bahia, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Santa Catarina registraram chuvas intensas, estiagem, enxurradas e inundações

Baixar áudio

A Defesa Civil Nacional reconheceu a situação de emergência em 15 cidades de Alagoas, Amazonas, Bahia, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Santa Catarina atingidas por desastres naturais. A portaria que concede o status foi publicada na edição desta segunda-feira (4) do Diário Oficial da União (DOU).

A maior parte dos reconhecimentos foi concedida a municípios do Amazonas, todos atingidos por inundações. São sete nessa condição: Anamã, Autazes, Benjamin Constant, Jutaí, Parintins, Tefé e Urucurituba.

Três cidades de Santa Catarina também obtiveram o reconhecimento. Braço do Norte foi atingida por enxurradas, enquanto Braço do Trombudo registrou deslizamentos. Já Iomerê teve episódios de chuvas intensas, assim como Teotônio Vilela, em Alagoas, e Quipapá, em Pernambuco.

Outras três localidades do País enfrentam estiagem: Canudos e Curuçá, ambas na Bahia, e Caicó, no Rio Grande do Norte.

Como solicitar recursos federais

Após a concessão do status de situação de emergência pela Defesa Civil Nacional, os municípios atingidos por desastres estão aptos a solicitar recursos do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) para atendimento à população afetada. As ações envolvem restabelecimento de serviços essenciais e reconstrução de equipamentos de infraestrutura danificados.

A solicitação deve ser feita por meio do Sistema Integrado de Informações sobre Desastres (S2iD). Com base nas informações enviadas, a equipe técnica da Defesa Civil Nacional avalia as metas e os valores solicitados. Com a aprovação, é publicada portaria no DOU com a especificação do montante a ser liberado.

Capacitações da Defesa Civil Nacional

A Defesa Civil Nacional oferece uma série de cursos à distância para habilitar e qualificar agentes municipais e estaduais para o uso do S2iD, a partir do Plano de Capacitação Continuada em Proteção e Defesa Civil. As capacitações têm como foco os agentes de proteção e defesa civil nas três esferas de governo. Confira neste link a lista completa dos cursos de capacitação.

Copiar o texto
01/07/2022 17:43h

Municípios beneficiados estão localizados nos estados do Amazonas, Pará e Bahia

Baixar áudio

Seis cidades brasileiras atingidas por desastres naturais vão receber mais de R$ 8,3 milhões para investir em ações de defesa civil. As portarias com as liberações dos recursos foram publicadas na edição desta sexta-feira (1) do Diário Oficial da União (DOU).

Na Bahia, a cidade de Santa Inês, afetada por chuvas intensas, contará com R$ 4,6 milhões para a reconstrução de unidades habitacionais, enquanto Teolândia, atingida pelo mesmo desastre, terá R$ 258,6 mil para a reconstrução de calçadas.

No Amazonas, o município de Anamã receberá R$ 1,1 milhão para a compra de cestas básicas, kits de limpeza e de higiene pessoal, colchões, redes e combustível. Com a mesma finalidade, São Paulo de Olivença contará com R$ 910,3 mil. As duas cidades tiveram registros de inundações.

O mesmo desastre afetou o município de Curuá, no Pará, que terá R$ 583,2 mil para a compra de itens de assistência humanitária. Já a cidade de Mojuí dos Campos, também no Pará, foi afetada por chuvas intensas e contará com R$ 811,6 mil para a compra dos mesmos itens.

Como solicitar recursos federais

Após a concessão do status de situação de emergência pela Defesa Civil Nacional, os municípios atingidos por desastres estão aptos a solicitar recursos para atendimento à população afetada. As ações envolvem restabelecimento de serviços essenciais e reconstrução de equipamentos de infraestrutura danificados.

A solicitação deve ser feita por meio do Sistema Integrado de Informações sobre Desastres (S2iD). Com base nas informações enviadas, a equipe técnica da Defesa Civil Nacional avalia as metas e os valores solicitados. Com a aprovação, é publicada portaria no DOU com a especificação do montante a ser liberado.

Capacitações da Defesa Civil Nacional

A Defesa Civil Nacional oferece uma série de cursos a distância para habilitar e qualificar agentes municipais e estaduais para o uso do S2iD, a partir do Plano de Capacitação Continuada em Proteção e Defesa Civil. As capacitações têm como foco os agentes de proteção e defesa civil nas três esferas de governo. Confira neste link a lista completa dos cursos de capacitação.

Copiar o texto
29/06/2022 19:50h

Alertas vão começar a ser emitidos em até 60 dias. Usuário poderá compartilhar localização e receber os alertas para aquela região, além de dicas de autoproteção

Baixar áudio

O Governo Federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), lançou, em parceria com o WhatsApp e o grupo Robbu, um serviço inédito de envio de alertas de desastres por meio do aplicativo em todo o País. Nesta quarta-feira (29), o ministro do Desenvolvimento Regional, Daniel Ferreira, assinou o Acordo de Cooperação Técnica (ACT) para dar continuidade ao desenvolvimento do projeto, que estará disponível para acesso da população em até 60 dias.

“O que estamos fazendo hoje é um grande passo para evitar tragédias pelo nosso País. Esse acordo vai levar o alcance da Defesa Civil Nacional a um patamar jamais visto no mundo. Eu digo com muita tranquilidade que, em matéria de prevenção de desastres, medidas de autoproteção e informação, nenhum cidadão brasileiro vai ficar para trás", observou.

Atualmente, a população brasileira recebe alertas de desastres por SMS, Telegram, TV por assinatura e, também, pelo Google. A ampliação desse serviço pelo WhatsApp é uma iniciativa inovadora do mundo e que atende a uma importante demanda da Defesa Civil Nacional.

"Ter toda essa estrutura e permitir que o cidadão seja alertado de um perigo e possa, por meio da ferramenta e do Sistema Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sinpdec), receber orientações sobre medidas de autoproteção, que é a principal metodologia de prevenção de desastre, era um grande sonho”, destacou o secretário nacional de Proteção e Defesa Civil, coronel Alexandre Lucas. “Nunca saberemos quantas vidas o WhatsApp vai salvar de agora em diante, mas podem ter certeza de que serão muitas", completou.

O diretor de Políticas Públicas para o WhatsApp no Brasil, Dario Durigan, também reforçou o fato de a iniciativa ser inovadora. “É uma parceria inédita no mundo. É o primeiro sistema de defesa civil a se estruturar de maneira permanente para emissão de alertas pelo WhatsApp. O aplicativo já é utilizado com frequência por grupos e comunidades próximas da Defesa Civil para coordenação e aviso. O que faremos agora é elevar esse uso para um outro patamar, por meio de uma conta verificada que dá segurança às pessoas de que elas estão falando com a Defesa Civil”, apontou o executivo.

"Estamos falando de uma ação inédita na história do País e, enquanto Robbu, nos sentimos muito felizes em poder apoiar de perto e fazer parte dessa parceria, que vai contribuir para a jornada de digitalização da Defesa Civil Nacional no serviço prestado ao cidadão, garantindo às pessoas, de forma gratuita, um canal oficial de interação que permite um acesso mais ágil, fácil e prático”, destacou o diretor Comercial da Robbu. Francisco Dabus.

Para ter acesso ao serviço, será necessário se cadastrar, a partir da disponibilização de um número, e, em seguida, interagir com o chatbot. Na sequência, o usuário poderá compartilhar sua localização atual ou qualquer outra do seu interesse e, dessa forma, receber os alertas para aquela região, além de dicas de autoproteção, melhores rotas de evacuação no caso de um desastre e até alertas ativos em outros estados do Brasil.

Os usuários interessados em receber alertas pelo WhatsApp no futuro já podem acessar o canal oficial da Defesa Civil Nacional e se cadastrar. Para isso, basta enviar um “oi” no aplicativo para o número 61 2034-4611 e iniciar a interação. Assim que o serviço de alertas, integrado à Interface de Divulgação de Alertas Públicos (IDAP), estiver funcionando, o usuário será informado pelo chatbot.

Confira abaixo a íntegra do evento de lançamento:

Copiar o texto
29/06/2022 12:45h

Municípios estão localizados nos estados do Amazonas, Minas Gerais, Pará, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Santa Catarina

Baixar áudio

O Governo Federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), autorizou, nesta quarta-feira (29), o repasse de mais de R$ 10 milhões para ações de defesa civil em 14 cidades do País atingidas por desastres naturais.

No Pará, a cidade de Óbidos, onde houve inundações, vai contar com R$ 1,1 milhão para a compra de cestas básicas, redes e kits de higiene e limpeza. Já Manhuaçu, em Minas Gerais, irá receber o mesmo valor para a recuperação de dois muros danificados por chuvas intensas.

Também no Pará, a cidade de Bom Jesus do Tocantins, atingida por enxurradas, receberá mais de R$ 331 mil para a compra de cestas básicas, kits de higiene, limpeza e dormitório, combustível, redes e colchões, além de aluguel de embarcação.

No Amazonas, a cidade de Borba vai receber mais de R$ 1 milhão para a compra de cestas básicas, kits de higiene, limpeza e dormitório, combustível, redes e colchões. No mesmo estado, UariniJapuráGuajará Boa Vista do Ramos receberão, respectivamente, R$ 837 mil, R$ 916 mil, R$ 1,03 milhão e R$ 653 mil para a compra dos mesmos itens, além de locação de embarcação. As cidades foram afetadas por inundações.

Para a cidade de Cabo de Santo Agostinho, em Pernambuco, atingida por chuvas intensas, serão destinados R$ 900 mil para a compra de cestas básicas, kits de higiene, limpeza e dormitório e colchões.

No Rio de Janeiro, os municípios de Petrópolis Paraty, também vítimas de fortes chuvas, receberão R$ 653 mil e R$ 209 mil, respectivamente, para recomposição de via pública e restabelecimento da Ponte do Jacu.

No Acre, Santa Rosa dos Purus terá R$ 200 mil para a compra de cestas básicas, kits de limpeza, colchões e combustível, além de locação de embarcação.

Por fim, no Rio Grande do Sul, as cidades de Independência e Dilermando de Aguiar, afetadas pela estiagem, receberão, respectivamente, R$ 330 mil e R$ 282 mil para a compra de cestas básicas.

Como solicitar recursos federais

Após a concessão do status de situação de emergência pela Defesa Civil Nacional, os municípios atingidos por desastres estão aptos a solicitar recursos do MDR para atendimento à população afetada. As ações envolvem restabelecimento de serviços essenciais e reconstrução de equipamentos de infraestrutura danificados.

A solicitação deve ser feita por meio do Sistema Integrado de Informações sobre Desastres (S2iD). Com base nas informações enviadas, a equipe técnica da Defesa Civil Nacional avalia as metas e os valores solicitados. Com a aprovação, é publicada portaria no DOU com a especificação do montante a ser liberado.

Capacitações da Defesa Civil Nacional

A Defesa Civil Nacional oferece uma série de cursos a distância para habilitar e qualificar agentes municipais e estaduais para o uso do S2iD, a partir do Plano de Capacitação Continuada em Proteção e Defesa Civil. As capacitações têm como foco os agentes de proteção e defesa civil nas três esferas de governo. Confira neste link a lista completa dos cursos de capacitação.

Copiar o texto
28/06/2022 14:35h

Sete enfrentaram chuvas intensas

Baixar áudio

O Governo Federal reconheceu nesta terça-feira (28), a situação de emergência em mais 14 cidades atingidas por desastres naturais.

Sete enfrentaram chuvas intensas. São elas: Bom Jardim, Chã Grande e Palmares, em Pernambucano; Ibaretama e Guaiúba, no Ceará; Forquilhinha, em Santa Catarina; e Varra de Santo Antônio, em Alagoas.

Já as cidades de Jundiá, em Alagoas; Manaquiri, no Amazonas; Faro e Terra Santa, no Pará; e Laurentino e Videira, em Santa Catarina, tiveram a situação de emergência reconhecida por conta de inundações.

Por fim, no Paraná, o município de Rio Negro sofreu com um vendaval.   

Após o reconhecimento de situação de emergência ou de estado de calamidade pública, estados e municípios atingidos por desastres podem solicitar recursos do Ministério do Desenvolvimento Regional, o MDR, para ações de defesa civil.

O ministro Daniel Ferreira explica de que forma os repasses podem ser aplicados.

"Os recursos da Defesa Civil podem ser empregados naquele primeiro momento que acontece o desastre pra fazer assistência humanitária, pra dar kits de higiene, alimentação pras pessoas que foram atingidas, que enfrentam as consequências daquele desastre, bem como pra restabelecimento dos serviços essenciais, como, por exemplo, abastecimento de água e desobstrução de vias públicas. Além disso, nós também podemos utilizar o os recursos da Defesa Civil pra fazer reconstrução de infraestruturas públicas destruídas pelo desastre ou ainda de habitações destruídas pelo desastre".

A solicitação de recursos deve ser feita por meio do Sistema Integrado de Informações sobre Desastres, o S2iD, que pode ser acessado em s2id.mi.gov.br.

Copiar o texto
Brasil 61