Defesa Civil

17/05/2022 18:38h

Estão na lista municípios dos estados do Pará, Bahia, Minas Gerais, São Paulo e Rio Grande do Sul

Baixar áudio

O Governo Federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), autorizou, nesta terça-feira (17), o repasse de mais de R$ 2 milhões a 15 cidades brasileiras atingidas por desastres naturais. As portarias que autorizam a liberação dos recursos foram publicadas no Diário Oficial da União (DOU).

O estado de Minas Gerais foi quem mais recebeu repasses, totalizando R$ 1,3 milhões a 10 municípios afetados pelas chuvas intensas. Governador Valadares foi a maior beneficiada, com R$ 462,6 mil, que serão usados para a compra de bomba anfíbia. Em Miradouro Barra Longa, os recursos serão usados para a construção de muros de contenção. Já UrucuiaTeixeiras Santo Antônio do Retiro usarão os recursos para pavimentação asfáltica e restabelecimento de estradas vicinais e vias urbanas.

Ainda em Minas Gerais, a cidade de Guidoval usará o recurso federal para a construção de ala de proteção e cabeceira. Em Soledade de Minas, o investimento será para reconstrução de galeria. Já em Santo Antônio do Grama e Pescador, os recursos serão destinados à construção de bueiro e restabelecimento de drenagem.

Além de Minas Gerais, São Paulo, Bahia, Pará e o Rio Grande do Sul também tiveram cidades beneficiadas com recursos do Governo Federal. A cidade de paulista de Embu das Artes, atingida por chuvas intensas, receberá R$ 91,9 mil para a contenção de encostas.

Já os municípios de Itupiranga, no Pará, e Itambé Cícero Dantas, na Bahia, todos atingidos por chuvas intensas, receberão R$ 345,5 mil, R$ 74,1 mil e R$ 75,3 mil, respectivamente, para manutenção de bueiros e aterro compactado, restabelecimento de passagem molhada e pavimentação em paralelepípedo.  

Atingido por vendaval, o município de Iraí, no Rio Grande do Sul, receberá R$ 128,7 mil em investimentos para a compra de folhas de fibrocimento.

Situação de emergência

A Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil reconheceu, também nesta terça-feira, a situação de emergência na cidade de Maripá, no Paraná, afetadas por queda de granizo. O reconhecimento foi publicado no Diário Oficial da União (DOU). 

Copiar o texto
13/05/2022 18:05h

Uma massa de ar frio deve avançar pelo Sul e, ao longo da próxima semana, se estender pelo Sudeste, Centro-Oeste e Norte do Brasil

Baixar áudio

A Defesa Civil Nacional soltou alerta para uma onda de frio intenso em várias regiões do País a partir do próximo domingo (15). Segundo dados do Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad), uma massa de ar frio de origem polar deve avançar pelo Sul e, ao longo da semana, influenciar as temperaturas no Sudeste, Centro-Oeste e Norte do Brasil.

Na região Sul, devem ser registradas temperaturas negativas e geadas generalizadas, com possibilidade de neve entre segunda-feira (16) e terça-feira (17) nas serras gaúcha e catarinense.

Já no Sudeste, a previsão é de frio intenso, a partir de segunda-feira (16), em São Paulo e no sul e sudoeste de Minas Gerais, com possibilidade de geada no estado até o dia 23 de maio. O mesmo deve ocorrer na região Centro-Oeste, que também tem previsão de geada para o sul do Mato Grosso do Sul até a mesma data.

Por fim, no Norte do país, as baixas temperaturas devem atingir os estados do Acre e de Rondônia.

Recomendações

Diante das previsões, a Defesa Civil Nacional recomenda que as defesas civis estaduais e municipais adotem ações de preparação cabíveis e reforcem a divulgação de informações para alertar a população, visando a adoção de medidas de autoproteção.

O Cenad já entrou em contato com as defesas civis estaduais e seguirá, durante todo o período crítico, trabalhando em escala de plantão para acompanhar as ações de enfrentamento ao frio intenso e comunicar o registro de qualquer ocorrência significativa.

Cuidados especiais

O período exige uma atenção especial com a população mais vulnerável, como enfermos, moradores de rua, idosos e crianças. É essencial manter-se bem agasalhado, beber bastante água e evitar locais fechados e de grande circulação de pessoas, além da higiene frequente das mãos. Essas medidas são de grande importância na prevenção de gripe, resfriados, pneumonia e demais doenças respiratórias, mantendo ainda mais cuidado com crianças e idosos - mais suscetíveis às doenças agravadas pelo frio. Nas noites com temperaturas mais baixas, recomenda-se, também, abrigar animais domésticos.

“Precisamos que todos se mobilizem, as defesas civis municipais, em parceria com os demais órgãos do Sistema Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sinpdec), para que possamos mitigar os riscos e atender as populações mais vulneráveis”, observou o secretário nacional de Defesa Civil, coronel Alexandre Lucas.

Copiar o texto
13/05/2022 16:25h

Medida inclui os municípios de Ipixuna e Itamarati, no Amazonas, Queimados, no Rio de Janeiro, e Erval Velho e Ponte Serrada, em Santa Catarina

Baixar áudio

O Governo Federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), reconheceu a situação de emergência em mais cinco cidades brasileiras atingidas por desastres naturais. Os reconhecimentos foram publicados na edição desta sexta-feira (13) do Diário Oficial da União. Confira neste link.

Dos cinco municípios que obtiveram o reconhecimento federal, dois enfrentaram inundações: Ipixuna e Itamarati, no Amazonas. Já a cidade de Queimados, no Rio de Janeiro, foi atingida por chuvas intensas.

Em Santa Catarina, as cidades de Erval Velho e Ponte Serrada tiveram a situação de emergência reconhecida em razão da estiagem.

Como solicitar recursos

Após a concessão do status de situação de emergência pela Defesa Civil Nacional, os municípios atingidos por desastres estão aptos a solicitar recursos do MDR para atendimento à população afetada. As ações envolvem restabelecimento de serviços essenciais e reconstrução de equipamentos de infraestrutura danificados.

A solicitação deve ser feita por meio do Sistema Integrado de Informações sobre Desastres (S2iD). Com base nas informações enviadas, a equipe técnica da Defesa Civil Nacional avalia as metas e os valores solicitados. Com a aprovação, é publicada portaria no DOU com a especificação do montante a ser liberado.

Capacitações da Defesa Civil Nacional

A Defesa Civil Nacional oferece uma série de cursos a distância para habilitar e qualificar agentes municipais e estaduais para o uso do S2iD, a partir do Plano de Capacitação Continuada em Proteção e Defesa Civil. As capacitações têm como foco os agentes de proteção e defesa civil nas três esferas de governo. Confira neste link a lista completa dos cursos de capacitação.

Copiar o texto
13/05/2022 16:06h

Estão na lista os municípios de Nova Iguaçu (RJ), Nova Ipixuna (PA), Vila Bela da Santíssima Trindade (MT), Coronel Domingos Soares (PR) e Formosa do Oeste (PR)

Baixar áudio

O Governo Federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), autorizou, nesta sexta-feira (13), o repasse de R$ 1,1 milhão a seis cidades brasileiras atingidas por desastres naturais. As portarias que autorizam a liberação dos recursos foram publicadas no Diário Oficial da União (DOU).

Um dos maiores repasses, de R$ 667 mil, será para o município de Nova Iguaçu, no Rio de Janeiro, afetado por chuvas intensas. Os investimentos serão usados na compra de itens de dormitório e higiene pessoal.

Atingidas por inundações, as cidades de Nova Ipixuna, no Pará, e Vila Bela da Santíssima Trindade, em Mato Grosso, receberão R$ 270,8 mil e R$ 80,8 mil, respectivamente, para a compra de cestas básicas, colchões e kits de limpeza, higiene pessoal e dormitório.

Estiagem

Atingidos pela estiagem, os municípios de Coronel Domingos Soares e Formosa do Oeste, no Paraná, terão R$ 53,6 mil e R$ 32,6 mil, respectivamente, para a compra de cestas básicas.

Por fim, a cidade de Lages, em Santa Catarina, também atingida pela estiagem, vai contar com R$ 6,8 mil para a compra de combustível para os veículos que transportam água potável.

Como solicitar recursos federais

Após a concessão do status de situação de emergência pela Defesa Civil Nacional, os municípios atingidos por desastres estão aptos a solicitar recursos do MDR para atendimento à população afetada. As ações envolvem restabelecimento de serviços essenciais e reconstrução de equipamentos de infraestrutura danificados.

A solicitação deve ser feita por meio do Sistema Integrado de Informações sobre Desastres (S2ID). Com base nas informações enviadas, a equipe técnica da Defesa Civil Nacional avalia as metas e os valores solicitados. Com a aprovação, é publicada portaria no DOU com a especificação do montante a ser liberado.

Capacitações da Defesa Civil Nacional

A Defesa Civil Nacional oferece uma série de cursos a distância para habilitar e qualificar agentes municipais e estaduais para o uso do S2iD, a partir do Plano de Capacitação Continuada em Proteção e Defesa Civil. As capacitações têm como foco os agentes de proteção e defesa civil nas três esferas de governo. Confira neste link a lista completa dos cursos de capacitação.

Copiar o texto
11/05/2022 15:55h

Estão na lista municípios dos estados de Minas Gerais, Maranhão e Rio Grande do Sul

Baixar áudio

O Governo Federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), autorizou, nesta quarta-feira (11), o repasse de R$ 2,7 milhões a 18 cidades brasileiras atingidas por desastres naturais. As portarias que autorizam a liberação dos recursos foram publicadas no Diário Oficial da União (DOU).

Um dos maiores repasses, de R$ 409,1 mil, será para o município de Paraisópolis, em Minas Gerais, afetado por chuvas intensas. Os investimentos serão usados na reconstrução de pontes, de pavimento danificado pelo desastre e de uma rede de drenagem pluvial profunda.

Atingidas por inundações, as cidades maranhenses de Vitória do MearimArari Monção receberão R$ 275,5 mil, R$ 270,3 mil e R$ 168,1 mil, respectivamente, para investir na compra de kits de ajuda humanitária. Já o município de Paim Filho, no Rio Grande do Sul, afetado por vendavais, terá R$ 75,7 mil para a aquisição de cestas básicas.

Estiagem

Na lista de cidades que receberão recursos federais, 13 estão localizadas no Rio Grande do Sul e foram afetadas pela estiagem. O maior repasse, de R$ 417,4 mil, será usado na compra de cestas básicas e combustível para o município de Nova Palma. Na sequência, está a cidade de Doutor Maurício Cardoso, que terá R$ 371,2 mil para a aquisição de cestas de alimentos.

Da mesma forma, o MDR também vai repassar para Arroio do TigreSão Pedro das MissõesNova Candelária e Campo Novo a quantia de R$ 231,1 mil, R$ 163,8 mil, R$ 148,4 mil e R$ 100,4 mil, respectivamente, para a compra de cestas básicas, combustível, reservatórios para transporte de água e um tanque móvel com moto bomba.

Já a cidade de Maximiliano de Almeida contará com R$ 93 mil para a aquisição de cestas de alimentos, assim como Restinga Seca e Trindade do Sul, que terão R$ 86,3 mil e R$ 31,7 mil, respectivamente.

Para a compra de reservatórios de água e de cestas de alimentos, o Governo federal vai encaminhar R$ 59,4 mil para Nova Ramada e R$ 58,4 mil para Bento Gonçalves. Por fim, o município de Carlos Barbosa contará com R$ 54 mil para a aquisição de caixas d'agua, enquanto Passo do Sobrado terá R$ 13 mil para a aquisição de combustível.

Copiar o texto
10/05/2022 15:28h

Medida inclui municípios do Amazonas, Maranhão, Ceará, Bahia, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Minas Gerais, São Paulo, Paraná e Santa Catarina

Baixar áudio

O Governo Federal reconheceu nesta terça-feira, 10 de maio, a situação de emergência em mais 15 cidades brasileiras afetadas por desastres naturais. 

Seis delas foram registraram chuvas intensas: Santa Helena, no Maranhão; Missão Velha e Barbalha, no Ceará; Patrocínio do Muriaé e Soledade, em Minas Gerais; e Cunha, em São Paulo.

Já a cidade de Canutama, no Amazonas, foi afetada por inundações.

Por fim, os municípios de Cansanção e Chorrochó, na Bahia; Jurema, em Pernambuco; São Pedro, no Rio Grande do Norte; Guaíra, no Paraná; e Capão Alto, Ipumirim e São José do Cerrito, em Santa Catarina, obtiveram o reconhecimento federal devido à estiagem.

Em todo o País, estados e municípios afetados por desastres podem solicitar apoio financeiro ao Ministério do Desenvolvimento Regional, o MDR, para ações de defesa civil.

O ministro Daniel Ferreira explica como podem ser usados os recursos. "Os recursos da Defesa Civil podem ser empregados naquele primeiro momento que acontece o desastre pra fazer assistência humanitária, pra dar kits de higiene, alimentação pras pessoas que foram atingidas, que enfrentam as consequências daquele desastre, bem como pra restabelecimento dos serviços essenciais, como, por exemplo, abastecimento de água e desobstrução de vias públicas. Além disso, nós também podemos utilizar os recursos da Defesa Civil pra fazer reconstrução de infraestruturas públicas destruídas pelo desastre ou ainda de habitações destruídas pelo desastre".

A solicitação de recursos é feita por meio do Sistema Integrado de Informações sobre Desastres, o S2iD, que pode ser acessado em s2id.mi.gov.br.

Copiar o texto
10/05/2022 15:09h

Investimentos serão usados na reconstrução de uma barragem em concreto armado danificada por chuvas intensas

Baixar áudio

O Governo Federal autorizou, nesta terça-feira (10), o repasse de R$ 120,1 mil à cidade de Canelinha, em Santa Catarina, que foi atingida por chuvas intensas. 

Os recursos serão usados na reconstrução de uma barragem em concreto armado destruída pelo desastre. 

Em todo o País, estados e municípios afetados por desastres podem solicitar apoio financeiro ao Ministério do Desenvolvimento Regional, o MDR, para ações de defesa civil. O ministro Daniel Ferreira explica como podem ser usados os recursos. "Os recursos da Defesa Civil podem ser empregados naquele primeiro momento que acontece o desastre pra fazer assistência humanitária, pra dar kits de higiene, alimentação pras pessoas que foram atingidas, que enfrentam as consequências daquele desastre, bem como pra restabelecimento dos serviços essenciais, como, por exemplo, abastecimento de água e desobstrução de vias públicas. Além disso, nós também podemos utilizar os recursos da Defesa Civil pra fazer reconstrução de infraestruturas públicas destruídas pelo desastre ou ainda de habitações destruídas pelo desastre".

A solicitação de recursos é feita por meio do Sistema Integrado de Informações sobre Desastres, o S2iD, que pode ser acessado em s2id.mi.gov.br.

 

Copiar o texto
09/05/2022 18:58h

Ministro Daniel Ferreira recebeu, nesta segunda-feira (9), o embaixador do Japão e integrantes da Agência de Cooperação Internacional Japonesa

Baixar áudio

O ministro do Desenvolvimento Regional, Daniel Ferreira, recebeu, nesta segunda-feira (9), o embaixador do Japão no Brasil, Hayashi Teiji, e integrantes da Agência de Cooperação Internacional Japonesa, a JICA. 

Durante o encontro, que também reuniu representantes da Defesa Civil Nacional, foi debatida parceria entre os dois países na busca por soluções inovadoras que minimizem os impactos dos desastres naturais. 

Uma das atividades que vêm sendo realizadas em parceria pelos dois países é a elaboração de estudos para a aplicação do Projeto Sabo no estado do Rio de Janeiro. 

O Projeto consiste na avaliação do movimento de massas, com foco na ocorrência de fluxo de detritos, que tem maior poder de destruição que um deslizamento comum. Além disso, propõe a instalação de barreiras de contenção para canalizar o fluxo de encostas e reduzir a área de alastramento do desastre.

Durante o encontro, Karine Lopes, diretora do Departamento de Articulação e Gestão da Defesa Civil Nacional, destacou a parceria entre os países. "A metodologia que eles aplicaram no Japão, nós vamos, também, desenvolver aqui em duas obras piloto. A gente vê essa ação como resultado de uma parceria muito frutífera e que vai continuar".

O embaixador do Japão destacou o desastre que atingiu a cidade de Petrópolis (RJ), atingida por fortes chuvas em fevereiro deste ano. “Mais uma vez, o Brasil registrou um grande desastre. O nosso objetivo com essa parceria é oferecer nossa experiência no assunto e, assim, minimizar os impactos de novas ocorrências”, analisou Hayashi Teiji.

Na última quinta-feira (5), uma equipe da Defesa Civil Nacional, juntamente com técnicos da Defesa Civil municipal e representantes da JICA, fizeram vistorias em algumas das áreas de Petrópolis mais atingidas pelas fortes chuvas que atingiram a região em fevereiro deste ano. O principal foco foi na avaliação in loco dos danos causados nas áreas onde houve deslizamentos de terra mais intensos. A atividade também serviu para levantar informações necessárias à elaboração dos planos de trabalho de recuperação dessas localidades – o documento é indispensável para a solicitação de recursos federais por meio do MDR.

Copiar o texto
09/05/2022 14:39h

Nos últimos cinco dias, cinco cidades mineiras receberam recursos do Governo Federal, destinados ao restabelecimento de infraestruturas atingidas pelas chuvas intensas

Baixar áudio

O Governo Federal autorizou, nesta segunda-feira (9), o repasse de mais de R$ 281,2 mil à cidade de Caraí, em Minas Gerais. Os recursos serão usados na reconstrução de pontes danificadas por chuvas intensas.

Nos últimos cinco dias, além de Caraí, as cidades mineiras de Joanésia, Viçosa, Coroaci e Oliveira também receberam os recursos do Governo Federal para reconstrução de infraestruturas atingidas pelas tempestades.

Foram cerca de R$ 1,5 para o restabelecimento de pontes, pistas e muros de contenção.

Em todo o País, estados e municípios afetados por desastres podem solicitar apoio financeiro ao Ministério do Desenvolvimento Regional, o MDR, para ações de defesa civil. O ministro Daniel Ferreira explica como podem ser usados os recursos. "Os recursos da Defesa Civil podem ser empregados naquele primeiro momento que acontece o desastre pra fazer assistência humanitária, pra dar kits de higiene, alimentação pras pessoas que foram atingidas, que enfrentam as consequências daquele desastre, bem como pra restabelecimento dos serviços essenciais, como, por exemplo, abastecimento de água e desobstrução de vias públicas. Além disso, nós também podemos utilizar os recursos da Defesa Civil pra fazer reconstrução de infraestruturas públicas destruídas pelo desastre ou ainda de habitações destruídas pelo desastre".

A solicitação de recursos é feita por meio do Sistema Integrado de Informações sobre Desastres, o S2iD, que pode ser acessado em s2id.mi.gov.br.

 

Copiar o texto
06/05/2022 16:17h

A medida vale para municípios da Bahia, Ceará, Paraná, Rio Grande do Sul, Sergipe, Minas Gerais, Amazonas e Pará

Baixar áudio

O Governo Federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), reconheceu, nesta sexta-feira (6), a situação de emergência em mais 16 cidades brasileiras afetadas por desastres naturais. Os reconhecimentos foram publicados no Diário Oficial da União (DOU).

Sete delas foram afetadas pela estiagem: Casa Nova, Irajuba e Maetinga, na Bahia; Tauá, no Ceará; Sulina, no Paraná; Nova Araçá, no Rio Grande do Sul; e Porto da Folha, em Sergipe.

Atingidos por granizo, os municípios de Assis Chateaubriand, Iracema do Oeste, Jesuítas e Matelândia, no Paraná, também tiveram a situação de emergência reconhecida. Pelo mesmo motivo, também entrou na lista a cidade de Santo Antônio do Amparo, em Minas Gerais.

Por fim, também obtiveram o reconhecimento federal as cidades de Manhumirim e Porto Firme, em Minas Gerais, afetadas por chuvas intensas, e Guajará, no Amazonas, e São Félix do Xingu, no Pará, atingidas por inundações.

Em todo o País, estados e municípios afetados por desastres podem solicitar apoio financeiro ao Ministério do Desenvolvimento Regional, o MDR, para ações de defesa civil. O ministro Daniel Ferreira explica como podem ser usados os recursos. "Os recursos da Defesa Civil podem ser empregados naquele primeiro momento que acontece o desastre pra fazer assistência humanitária, pra dar kits de higiene, alimentação pras pessoas que foram atingidas, que enfrentam as consequências daquele desastre, bem como pra restabelecimento dos serviços essenciais, como, por exemplo, abastecimento de água e desobstrução de vias públicas. Além disso, nós também podemos utilizar os recursos da Defesa Civil pra fazer reconstrução de infraestruturas públicas destruídas pelo desastre ou ainda de habitações destruídas pelo desastre".

A solicitação de recursos é feita por meio do Sistema Integrado de Informações sobre Desastres, o S2iD, que pode ser acessado em s2id.mi.gov.br.

 

Copiar o texto
Brasil 61