Brasil

15/01/2022 17:00h

Confira as principais regras para título de eleitor e datas das próximas eleições

Baixar áudio

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou o calendário oficial das eleições de 2022. Este ano, o pleito será para escolha de presidente da República, governadores, senadores e deputados federais, estaduais e distritais. O primeiro turno será no dia 2 de outubro. Já um eventual segundo turno ocorrerá no dia 30 do mesmo mês. 

Vale lembrar que a votação vai começar às 8h e terminar às 17h. Este ano, o horário de início da votação será uniformizado pelo horário de Brasília em todos os estados e no Distrito Federal. 

A data limite para o eleitor solicitar a emissão de seu título será o dia 4 de maio. Vale destacar que o voto é obrigatório para brasileiros maiores de 18 anos, e facultativo para analfabetos, maiores de 70 anos e jovens com idade entre 16 e 17 anos. O cidadão que vai completar 16 anos em 2022, até o dia 2 de outubro, poderá solicitar a emissão do título a partir de janeiro. Aqueles que já atingiram essa idade, podem fazer o alistamento eleitoral.

Presidente Jair Bolsonaro sanciona novo Marco Legal do Mercado de Câmbio

Nova CNH começa a ser emitida em junho deste ano

Caso o cidadão já tenha o documento, ele deve checar se está em situação regular ou se há necessidade de quitar algum débito e solicitar a regularização do cadastro. A data limite para a regularização e transferência de título também é 4 de maio, como explica o advogado e professor de Direito Constitucional, Antonio Carlos de Freitas Jr..

“Se a pessoa mudou de município ou até mesmo para outra zona eleitoral dentro da mesma cidade, ela precisa mudar seu título, para votar em uma escola mais próxima. Mas, há outras datas às quais o eleitor precisa ficar atento como fiscal, como por exemplo, o limite de início da propaganda eleitoral, que poderá começar no dia 16 de agosto”, destaca. 

No dia 16 de agosto, portanto, está liberada a realização de comícios, pedido de voto, distribuição de material gráfico e uso da internet. E no dia 26 de agosto, os candidatos iniciam a propaganda eleitoral no rádio e na TV. Mas antes mesmo disso, começa o prazo para que todos os candidatos recebam a mesma atenção em veículos de comunicação.

“Está vedado, a partir de 6 de agosto, tratamento desigual na mídia. Ou seja, não pode haver nenhum tipo de programação que mostre um candidato mais do que outro. Poderá haver divulgação jornalística, inclusive debates, mas sem aparecimento desigual ou privilegiado de qualquer candidatura”, afirma Freitas Jr.

Crimes mais comuns no processo eleitoral

No entendimento de Freitas Jr., as atenções também devem estar voltadas para a denúncia da compra de votos. “Se o eleitor souber que existe candidato oferecendo algum tipo de benefício, seja qual for, mesmo que não seja financeiro, como um favor ou uma carona, até um brinde, isso é entendido como um favorecimento que é impedido pela legislação eleitoral”, pontua. 

Campanha antecipada; abuso de poder político, financeiro e de comunicação; disseminação de fake news, além da compra de votos, estão entre os crimes mais comuns no processo eleitoral. O crime de campanha antecipada ocorre quando o candidato declara candidatura antes do período oficial, ou pede voto fora do período pré-estabelecido. 

“Um ponto importante de preocupação quanto a crimes eleitorais é a questão da fake news. Nós vamos ter todo um aparato da Justiça Eleitoral para coibir notícias mentirosas. São ilícitos eleitorais, que precisam ter a fiscalização dos órgãos de controle, da Justiça Eleitoral e dos eleitores, que devem estar atentos”, destaca Freitas Jr. 

Tanto o alistamento (primeira via do título) quanto a regularização podem ser solicitados pelo sistema Título Net, no Portal do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Assista ao vídeo com passo a passo.

Copiar o texto
09/01/2022 16:50h

O abono salarial do PIS/Pasep pago em 2022 é referente aos trabalhadores que exerceram atividade de carteira assinada ao longo de 2020

Baixar áudio

Com a aprovação do cronograma de pagamentos do abono salarial do PIS/Pasep 2022, o início dos repasses está agendado para o dia 8 de fevereiro deste ano. A data vale para os trabalhadores nascidos no mês de janeiro. As novas liberações se sucedem até o dia 31 de março, dia em que os nascidos em dezembro vão receber os valores. 

Confira o calendário

PIS – (Mês de nascimento/ Data de pagamento do PIS)

  • Janeiro - 08/02/2022
  • Fevereiro - 10/02/2022
  • Março - 15/02/2022
  • Abril - 17/02/2022
  • Maio - 22/02/2022
  • Junho - 24/02/2022
  • Julho - 15/03/2022
  • Agosto - 17/03/2022
  • Setembro - 22/03/2022
  • Outubro - 24/03/2022
  • Novembro - 29/03/2022
  • Dezembro - 31/03/2022

PASEP - (Final da inscrição/Saque liberado dia)

  • 0 - 15/02/2022
  • 1 - 15/02/2022
  • 2 - 17/02/2022
  • 3 - 17/02/2022
  • 4 - 22/02/2022
  • 5 - 24/02/2022
  • 6 - 15/03/2022
  • 7 - 17/03/2022
  • 8 - 22/03/2022
  • 9 - 24/03/2022

Vale destacar que o abono salarial do PIS/Pasep pago em 2022 é referente aos trabalhadores que exerceram atividade de carteira assinada ao longo de 2020. 
Conforme o calendário dos anos anteriores, o pagamento deveria ter começado em julho de 2021 e seguido até junho de 2022. No entanto, o Conselho deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Condefat) decidiu alterar o esquema de pagamento, o que representou uma economia de R$ 7,45 bilhões para o Orçamento da União em 2021.

COVID-19: primeiro lote de vacinas produzidas com o IFA nacional será entregue em fevereiro

Apesar de otimismo do setor, feriados na quarta-feira prejudicam viagens em 2022

Para os trabalhadores que exerceram atividade no ano passado, a expectativa é de que os valores sejam liberados para pagamento somente em 2023.
Valor do abono salarial do PIS/Pasep

O valor do abono salarial do PIS/Pasep será de até R$ 1.212 para quem trabalhou de carteira assinada ao longo dos 12 meses de 2020. Para quem atuou por menos tempo, o benefício será proporcional à quantidade de meses trabalhados no ano base. Para saber qual valor será recebido, basta dividir o salário mínimo por doze e multiplicar pela quantidade de meses trabalhados.

Quem tem direito

Tem direito ao benefício os trabalhadores com carteira assinada que receberam, em média, até dois salários mínimos por mês e trabalharam por, pelo menos, 30 dias, em 2020.

Outra exigência é estar inscrito no PIS-Pasep há pelo menos cinco anos, com informações atualizadas pelos empregadores na Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

No início da última semana, o Governo Federal apresentou a proposta com o cronograma de pagamentos do abono salarial do PIS/Pasep 2022 ao Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat). O conselho aprovou a medida na última sexta-feira (7). 
 

Copiar o texto
08/01/2022 15:50h

Segundo a infectologista Joana D'arc, o período médio que uma pessoa infectada ainda fica capaz de transmitir a doença é de 10 dias

Baixar áudio

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos diminuiu o tempo recomendado de isolamento social em caso de resultado positivo para Covid-19. Em vez de dez dias, a recomendação agora é de que sejam levados em conta cinco dias, caso não haja surgimento de sintomas — e se usarem máscaras por perto de outras pessoas por pelo menos mais cinco dias.

Na avaliação da infectologista Joana D'arc, as medidas levaram em conta problemas locais, políticos e comerciais. Segundo ela, as recomendações deveriam ser mais amplas, de forma a atender a demanda de outros países. 

“Quando se faz o teste de PCR ou antigênico, não há como determinar há quanto tempo a pessoa está infectada. Para você exigir cinco dias de isolamento e sair após esse período, na maioria dos países, eles exigem outro teste, para que se possa voltar ao convívio normal. Isso, após um período de isolamento e quarentena”, considera. 

É dengue ou Covid (Ômicron)? Saiba diferenciar os sintomas

Ministério da Saúde inclui crianças de 5 a 11 anos no Plano Nacional de Vacinação contra Covid-19

O CDC também decidiu que pessoas que entraram em contato com outras infectadas devem realizar a testagem no quinto dia do contato. Além disso, para quem não tomou a vacina ou possui dose em atraso, a recomendação é de que haja um período de 5 dias em quarentena e um rigoroso uso de máscara por mais 5 dias.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou nesta sexta-feira (7) que a Pasta e a Secretaria de Vigilância em Saúde avaliam reduzir o tempo de isolamento de pessoas infectadas. "Está sendo adotada em outros países e tem acento em evidências científicas. É possível que adotemos essa mesma conduta. Isso está em estudo na área técnica, na Secretaria de Vigilância e Saúde, e hoje tenho reunião com os secretários para tratar desse tema”, disse o ministro.

Até o fechamento desta reportagem, o Ministério da Saúde havia informado, por meio de nota, que o ministro afirmou apenas que “há a possibilidade de o  Brasil rever o intervalo da quarentena da Covid-19.” E que não houve declaração de que “profissionais da saúde estarão autorizados a voltar ao trabalho ainda infectados pela doença.”

Por quanto tempo a pessoa ainda pode transmitir a Covid-19?

Em junho de 2021, o portal Brasil61.com publicou reportagem com informações de quantos dias uma pessoa infectada com coronavírus pode transmitir Covid-19. Na época, foi dado que o período de incubação do vírus é de 2 a 14 dias, tempo que pode levar para os primeiros sintomas aparecerem. 

Para Joana D'arc, atualmente, o período médio que uma pessoa infectada ainda fica capaz de transmitir a doença é de 10 dias. Por isso, é preciso avaliar o convívio social e tornar as medidas protetivas, como uso de máscara, habituais. 

“Pessoas com sintomas leves ou assintomáticas podem transmitir a doença até em torno de 10 dias. Quem tem sintomas, ficou hospitalizado ou teve a doença na forma grave, o período vai até 20 dias. Mas, a média é de 10 dias de quarentena, de isolamento”, ressalta. 

Decisões do CDC para os Estados Unidos

  • Isolamento passa para 5 dias após teste positivo.
  • Se assintomático, pode sair do isolamento desde que mantenha o uso de máscara por 5 dias.
  • Pessoas que entraram em contato com pessoas positivas devem realizar a testagem no quinto dia do contato.
  • Quem tomou a dose de reforço, não precisa ficar em quarentena, mesmo após o contato com um infectado. A orientação é apenas que use máscara por 10 dias.
  • Para quem não tomou a vacina ou possui dose em atraso, o CDC recomenda o período de 5 dias em quarentena e um “rigoroso uso de máscara” por outros 5 dias.
     
Copiar o texto
Brasil
01/01/2022 03:00h

Solicitação pode ser feita pela internet ou presencialmente, a depender do país de destino

Baixar áudio

As pessoas que vão viajar para fora do Brasil com animais de estimação devem ficar atentas para evitar imprevistos na hora de embarcar. Esse tipo de viagem exige o Certificado Veterinário Internacional (CVI), que atesta as condições, o histórico de saúde do pet e comprova que o cão ou gato atende às exigências sanitárias do país de destino. 

O documento pode ser emitido gratuitamente pelo Sistema de Vigilância Agropecuária Internacional (Vigiagro), do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). O Mapa já disponibiliza a emissão do CVI para trânsito internacional de animais de estimação para 11 países de forma eletrônica: Argentina, Bolívia, Canadá, Chile, Colômbia, Estados Unidos, Japão, México, Paraguai, Uruguai e Venezuela. Para solicitar o documento, basta acessar o portal GOV.br

A jornalista e estudante Ana Karoline Lustosa se mudou do Brasil para o Canadá em setembro deste ano. Ana e o marido levaram a cachorrinha de estimação Catu, na viagem. Ela conta que o processo para obtenção do CVI, exigido pelas autoridades sanitárias canadenses, foi simples. 

“Nós tivemos que emitir o CVI. Foi bem tranquilo. Foi direto no site do Governo Federal. Depois, nós tivemos que levar até o aeroporto para eles assinarem, também tivemos que pedir um laudo para a veterinária que acompanhava a nossa cachorra no Brasil. Então, o processo para obtenção do CVI foi bem tranquilo. Foi tudo online, ganhamos tempo com isso”, afirma. 

O Mapa recomenda que os donos de animais devem planejar a viagem com antecedência, a fim de conhecer as exigências do país de destino. Cada país tem regras próprias para autorizar a entrada de animais domésticos. Alguns aceitam o CVI ou o passaporte para a entrada do bicho. Outros só permitem a entrada por meio do CVI. 

A diferença entre os dois documentos é que o primeiro deve ser emitido antes de cada viagem. O passaporte, por sua vez, pode ser usado em várias viagens, durante toda a vida do animal, desde que acompanhado de comprovante de vacinação atualizado. 

É importante destacar que o CVI tem validade determinada. O documento vale entre dois e dez dias para ingresso no país de destino. O prazo passa a contar do momento da emissão na unidade do Vigiagro até a chegada ao país de destino. Embora a obtenção do CVI tenha sido simples, Ana explica que as etapas do processo exigem planejamento. Nada de fazer tudo em cima da hora. 

“Fizemos a solicitação, a gente respondeu um formulário e enviamos o cartão de vacina da nossa cachorrinha. Eles têm um prazo para poder analisar. Depois desse prazo, quando estava tudo ok, a gente teve que imprimir esse documento e levar até o Vigiagro do Aeroporto de Brasília, no caso, para que eles pudessem carimbar. As informações que eles precisam são pessoais, como dos donos do cachorro e as informações sobre vacina“, conta. 

Nos casos em que não há possibilidade de solicitar a emissão do CVI  pela internet, o Mapa recomenda que os passageiros compareçam a uma unidade do Vigiagro com, no mínimo, 30 dias de antecedência. Assim, evitam-se os imprevistos que podem impedir o animal de embarcar. Todos os estados brasileiros e o Distrito Federal contam com, ao menos, uma unidade do Vigiagro. Para saber qual a mais próxima de você, clique aqui.  

Mega da Virada sorteará R$ 350 milhões

Polícia Rodoviária Federal inicia a Operação Ano Novo 2022 para promover segurança nas rodovias

Estados Unidos

De acordo com o Mapa, desde 1º de dezembro, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), dos Estados Unidos, estabeleceu que os animais que chegam de países classificados como de alto risco para a raiva, o que inclui o Brasil, só vão poder ingressar nos EUA por um dos 18 pontos de entrada aprovados. 

Além disso, as autoridades sanitárias norte-americanas aumentaram a exigência de documentação. Antes, o país exigia apenas o comprovante de vacina de raiva. Agora, os donos desses animais de estimação precisam apresentar um comprovante de microchip e o laudo de sorologia da raiva, caso a vacina tenha sido aplicada fora dos Estados Unidos. Por fim, a idade mínima para o ingresso de cães passou de quatro para seis meses de idade. 

Copiar o texto
31/12/2021 10:20h

As apostas podem ser feitas até as 17h desta sexta-feira (31). O sorteio será realizado às 20h, horário de Brasília

Baixar áudio

Já pensou no que faria se ganhasse R$ 350 milhões? Esse valor é o que será sorteado na Mega da Virada deste ano. E, apesar de não ser fácil, tentar a sorte neste prêmio já virou uma tradição entre os brasileiros. As apostas podem ser feitas até as 17h desta sexta-feira (31). O sorteio será realizado às 20h, horário de Brasília.

Terezinha de Jesus tem 48 anos e mora no Riacho Fundo 2, no Distrito Federal. Ela conta que já beliscou uma fatia do grande prêmio e, confiante, agora vai em busca de realizar novos desejos. 

Queima de fogos no Réveillon: como fazer de maneira segura e proteger bichos de estimação do barulho excessivo

Polícia Rodoviária Federal inicia a Operação Ano Novo 2022 para promover segurança nas rodovias

“Vou lá fazer a aposta, pedindo a Deus e à Nossa Senhora que eu possa ganhar nem que seja só um pouquinho. Não queria muito não, que nem foi da primeira vez que joguei. Falei para Jesus que queria só um pouquinho para pagar minhas dívidas e comprar uma casinha no Goiás. Pedi isso e os anjos disseram amém”, relembra. 

Terezinha não foi a única a realizar parte dos sonhos. A administradora Adeane Paiva, de 36 anos, que mora em Valparaíso de Goiás também foi contemplada com parte do valor sorteado há quatro anos. “Ganhei na Mega da Virada de 2017 um valor de R$ 10 mil. Com esse dinheiro consegui reformar minha casa”, comemora.

Quanto pode render o prêmio da Mega-Sena da Virada? 

Quando ouvimos falar que o prêmio da Mega da Virada deste ano está em torno de R$ 350 milhões, sabemos que é muito dinheiro. Mas você sabe exatamente o que esse valor representa? O economista Newton Marques diz qual o valor mínimo que essa quantia renderia por mês. 

“Os ganhadores poderão fazer aplicações financeiras para receber pelo menos meio por cento de juros ao mês, que é o caso da caderneta de poupança. Isso pagará de rendimento cerca de R$ 1,7 milhão mensalmente, mantendo o valor aplicado. Se outros optarem por diversificar essas aplicações, teriam que procurar um consultor financeiro para poder orientar de que melhor forma seria feita essa aplicação”, explica. 

Enquanto a poupança rende 0,5% mensalmente, o Tesouro Selic e os fundos DI rendem aproximadamente 9,25% ao ano, que corresponde a 0,74% ao mês. Porém, os dois exigem pagamento de Imposto de Renda, o que não ocorre quando a aplicação é feita na caderneta de poupança. Se o valor sorteado este ano fosse investido em Tesouro Selic ou Fundos DI, o rendimento bruto por mês seria de R$ 2,59 milhões mensais; sem descontar o valor de impostos. 
 

Copiar o texto
30/12/2021 20:15h

Especialista dá dicas desde a compra até a soltura dos artefatos. Cães e gatos são mais sensíveis ao barulho dos fogos de artifício, veja como minimizar impacto

Baixar áudio

A queima de fogos de artifício já se tornou uma tradição nas comemorações do Réveillon, não apenas no Brasil, mas em vários países. Este ano, por conta da pandemia da Covid-19 e do surgimento da variante Ômicron, várias cidades brasileiras cancelaram a festa da virada, mas capitais como Rio de Janeiro, Recife e Boa Vista mantêm o cronograma de fogos e devem proporcionar um show de cores nos ares. 

Têm aqueles que, além de assistir ao espetáculo, querem participar ativamente do momento, soltando fogos de artifício assim que o ponteiro do relógio chegar à meia-noite. 

No entanto, a festa deve vir acompanhada de alguns cuidados, orienta Paulo Jorge, capitão e oficial de informações públicas do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF). “Os fogos, geralmente, estão ligados a comemorações ou festividades, mas eles podem causar sérios danos a pessoas, meio ambiente e, também, aos animais”, avisa. 

O portal Brasil 61 separou as dicas da corporação para você estourar os fogos de artifício com responsabilidade. Veja abaixo: 

  • Adquira o produto em uma casa ou comércio devidamente credenciado junto ao Corpo de Bombeiros;
  • Leia e siga as instruções das embalagens. Fique atento à data de validade do produto;
  • Caso tenha que armazenar o produto, guarde-o em local frio e seco;
  • Solte os fogos sob a supervisão de um adulto; 
  • Utilize esses artefatos de acordo com a idade indicativa da embalagem; 
  • Nunca tente reutilizar os fogos que tenham apresentado algum tipo de problema. Se o produto não funcionou, inutilize-o ao mergulhá-lo em uma bacia com água;
  • Nunca atire os fogos em direção a pessoas ou animais;
  • Evite soltar esses artefatos próximos a hospitais, postos de combustíveis ou mesmo a residências; 
  • Não solte fogos de artifício em ambientes fechados. Procure ambientes abertos e amplos;
  • Não solte esses fogos caso esteja ingerindo bebida alcoólica; 
  • Em caso de shows pirotécnicos, em que é utilizada grande quantidade de fogos, deve-se contratar um profissional da área (blaster);
  • Em caso de acidente, ligue para o Corpo de Bombeiros por meio do 193. 

Legislação

O capitão do Corpo de Bombeiros Paulo Jorge lembra que é necessário ficar atento à legislação municipal antes de comprar fogos de artifício. Isso porque não há uma lei nacional que trate sobre a comercialização desses produtos. Ou seja, cada cidade é responsável por decidir sobre a venda e uso dos artefatos. 

Em Brasília, por exemplo, a Lei 6.647/2020 proíbe a queima de fogos de artifício com estampido, ou seja, barulho. No DF, só podem os fogos que produzem efeitos visuais sem estampido ou com barulho de baixa intensidade. 

A proibição do uso de fogos de artifício com estampido gera polêmicas Brasil afora. Em Martinópolis, na região de Presidente Prudente (SP), só podem ser vendidos os fogos de artifício que não fazem barulho, graças a uma lei aprovada pela Câmara Municipal em outubro de 2020. 

O então prefeito, Cristiano Macedo Engel, chegou a entrar com uma ação no Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) alegando que a norma era inconstitucional, pois restringia o consumo, invadindo uma competência que cabe ao Governo Federal. No entanto, os desembargadores mantiveram a decisão do legislativo local e a restrição continua valendo. Fogos de artifício em Martinópolis, apenas sem estampido. 

Cuidado com os pets

A virada de ano costuma ser uma tortura para os bichos de estimação. Isso porque a queima de fogos com estampido prejudica a audição desses animais, como cachorros, gatos, coelhos, hamsters e chinchilas. Carolina Fernandes, médica veterinária e dona de dois cachorros, explica que esses bichos têm uma espécie de superaudição se comparada a dos humanos. "Os pets convencionais têm  uma audição quatro vezes mais apurada do que a nossa. Um barulho que é um pouco alto para a gente, para eles vai ser extremamente alto”, explica. 

O prejuízo não significa, necessariamente, uma lesão no aparelho auditivo. O medo que toma conta desses animais diante do barulho excessivo faz com que eles tentem, de qualquer maneira, fugir para longe daquele ruído. É aí que mora o perigo. 

“O animal vai ficar com muito medo, muito excitado, e isso pode causar taquicardia. Ele não consegue controlar o medo dele, por isso não consegue te escutar, tenta fugir daquele som muito estrondoso, e aí acontecem as fugas. Nessas fugas pode acontecer atropelamento. Se ele estiver preso em algum lugar pode tentar forçar a saída e se machucar”, diz Carolina. 

A veterinária dá algumas dicas que podem ajudar os bichos de estimação a passar a virada do ano mais tranquilamente. Confira: 

  • Se possível, não deixe o pet sozinho. Ele deve estar sob alguma supervisão, seja de um tutor ou cuidador;
  • É importante tirar o animal da área externa para a área interna (um local mais fechado para que o som não entre ou seja minimizado);
  • Fechar as janelas e portas ajuda a isolar o barulho;
  • Deixe música ou televisão ligadas no ambiente em que o pet está. Isso vai ajudar a distraí-lo do barulho dos fogos;
  • Brinque ou deixe um brinquedo que o bicho de estimação mais gosta para distraí-lo dos estampidos. 

Segundo a veterinária, alguns cuidados podem ser tomados horas antes da queima de fogos, como a utilização de florais. “Os florais são medicações homeopáticas que não precisam de prescrição médica. Eles são vendidos em farmácias homeopáticas ou em alguns pet shops também. Pode ser misturado na água, e o ideal é começar um ou dois dias antes, colocando quatro gotinhas três vezes gotas ao dia na água, ou diretamente na boca do animal. Isso vai deixando ele mais tranquilo até chegar o dia”, completa. 

Copiar o texto
Tempo
28/12/2021 22:00h

Defesa Civil do estado confirmou mais uma morte por causa dos atemporais nesta terça-feira (28). Número de afetados ultrapassa 470 mil pessoas

Baixar áudio

Vai levar um tempo até que Dulcinei Lima, 55 anos, moradora de Itabuna, no sul da Bahia, consiga recuperar o estrago que a chuva causou em sua casa na madrugada do último domingo (26). O temporal que caiu sobre o município, um dos mais afetados do estado, no último fim de semana, deixou ruas, casas e estabelecimentos alagados. 

A dona de casa conta que estava apreensiva desde que Itabuna entrou em estado de calamidade por conta da chuva forte. O fato de a casa ser cercada por canais deixou a família em alerta na noite de Natal. Ao abrir a porta, às três da manhã, ela se surpreendeu, pois os canais haviam transbordado e a água já invadia a casa de um dos vizinhos, tomando as ruas e a calçada. “A água começou a subir pelo passeio e a invadir a minha casa, pela frente e pelo fundo. A água tomou tudo”, lembra. 
 
Com a água na cintura, Dulcinei e o filho tentaram salvar os bens que podiam. Durante a madrugada e a manhã de domingo conseguiram colocar os móveis pequenos em cima da laje inacabada da casa. Geladeira, fogão, sofá e uma das camas foram transferidos para a casa de vizinhos com mais sorte. No entanto, não foi possível poupar tudo. “Deu oitenta centímetros de altura de água na minha casa. Perdi o guarda-roupa, perdi meus armários projetados da cozinha, minhas paredes estão faltando pedaços, mas estou com saúde, graças a Deus”, enfatiza.  
 
Dulcinei mora só, não tem renda fixa, e trabalha como diarista e manicure para poder se sustentar. “Isso é uma reflexão. A gente vê que acontece com muitas pessoas, mas a gente nunca acha que vai acontecer com a gente. Eu fiquei com o sistema emocional muito abalado. Hoje que a gente está entrando na realidade. Você abre a casa pra ver, por mais que não seja chique, não tenha móveis de luxo, mas é sua casa. É difícil, principalmente para uma pessoa como eu, que não tem salário”, avalia. 
 
Apesar das perdas, ela comemora estar bem e ter saúde para recomeçar. Morando temporariamente com o filho, a moradora de Itabuna é otimista. “Dou glória a Deus porque estamos vivos. Eu não estou chorando pelo meu filho e nem ele por mim, porque do jeito que veio essa enchente, a gente não sabe o que ia acontecer. Tá muito feio aqui na rua, entulho de móveis, a casa fedendo, aquele cheiro forte. É uma coisa muito triste mesmo, a gente fica com o emocional abalado, mas Deus dá força pra gente ficar de pé e conquistar tudo de novo”, acredita. 

Suporte

Itabuna é um dos 72 municípios baianos em estado de emergência reconhecido pelo governador Rui Costa (PT) por causa das fortes chuvas que atingem a Bahia nas últimas semanas. Na tarde desta terça-feira (28), a Superintendência de Proteção e Defesa Civil da Bahia (Sudec) divulgou um novo balanço da situação com base nas informações repassadas pelas prefeituras. 
 
O órgão confirmou a 21ª morte em decorrência dos temporais. Era um rapaz de 19 anos, que tentou atravessar uma enxurrada em Ilhéus, na noite da segunda-feira (27), e acabou se afogando. Segundo a Seduc, já são 34.163 desabrigados e 42.929 desalojados. Até o momento, 471.786 pessoas foram afetadas pelos temporais, de alguma forma. 


 
A situação fez com que governadores de outros estados enviassem ajuda à Bahia Nove estados enviaram policiais, bombeiros e equipamentos para auxiliar no resgate àqueles que foram atingidos pelas chuvas. Já o Governo Federal confirmou o apoio da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e das Forças Armadas. Nesta terça-feira (28), o presidente Jair Bolsonaro editou uma medida provisória que libera R$ 80 milhões para reconstrução de rodovias danificadas pelas chuvas. 
 
Segundo informações do Ministério do Desenvolvimento Regional, mais de R$ 19 milhões já foram disponibilizados pela Defesa Civil Nacional para ações de resposta ao desastre natural e reconstrução de infraestrutura danificada. No local estão presentes o chefe da pasta, Rogério Marinho, e o ministro da Cidadania, João Roma. 
 
“São muitas perdas. Perdas do comércio, pessoas que perderam estoques e perdas entre as famílias, as pessoas mais necessitadas que, no geral, moram em lugares de risco e tem perdido tudo, do colchão ao fogão. É importante que a gente una esses esforços com alimentos, medicamentos, água potável, transporte, energia elétrica que tem faltado em alguns lugares que têm ficado isolados”, destacou João Roma. 
 
As prefeituras dos municípios atingidos pelas chuvas também se mobilizaram para receber doações em apoio à população. Em Itabuna, por exemplo, é possível contribuir por meio de uma transferência bancária ou PIX. Saiba mais
 
Além do poder público, organizações da sociedade civil também atuam para minimizar os estragos enfrentados pela população do sul da Bahia. No município de Uruçuca, Geraldina da Silva teve familiares que perderam tudo por conta das enchentes. Mesmo assim, ela resolveu arregaçar as mangas. A Casa do Idoso Solidária, onde ela trabalha, abriu as portas para acolher os vulneráveis. 
 
Enquanto os colégios municipais servem de abrigo, a instituição recebe doações de roupas, alimentos,  itens de higiene, cobertores, lençóis e colchões. “A nossa casa é de apoio para o pessoal vir, fazer uma refeição, pegar roupa ou levar comida. Os pontos de coleta estão servindo pra isso”, conta. 

Para contribuir com as ações em Uruçuca e trabalho da Aliança Comunitária, clique aqui. A rede colaborativa é de Serra Grande e está arrecadando doações para destinar à Casa do Idoso. 

Medo

As consequências dos temporais assolam, em menor ou maior grau, os moradores dos 116 municípios afetados pelas chuvas. Camila Souza, estudante de letras, é moradora de Eunápolis. Ela conta que a abundância de água causou um efeito que muitos duvidariam. 
 
“Como o nível [do rio] sobe demais, a prefeitura teve que retirar as bombas [das estações] para que elas não sejam carregadas e a gente acaba ficando sem abastecimento.  A gente ficou praticamente uma semana sem água e, novamente agora no início da semana, a gente ficou sem água de novo, porque voltou a chover. Por um lado, tem muita água, mas o nosso abastecimento não tem”, contrasta. 
 
Há casos também de pessoas que escaparam das enchentes, mas vivem com receio de que o nível dos rios volte a subir e destrua as casas, assim como viram acontecer com conhecidos e familiares. É o caso de Vanessa Melo, que mora no bairro Jardim Savóia, na zona norte de Ilhéus. “No fundo da minha casa, mais precisamente em uma outra rua, passa um afluente do Rio Cachoeira e eu tive receio que ele subisse ao nível de entrar nas casas aqui. Mas graças a Deus isso não ocorreu. As ruas aqui ficam alagadas e com lama por não serem pavimentadas e não possuir o escoamento necessário”, relata. 

Previsão 

Em entrevista ao portal Brasil61.com, Andrea Ramos, meteorologista do Inmet, disse que vários fatores climáticos contribuíram para os volumes históricos de chuva que assolam a Bahia neste mês. O primeiro tem nome complicado: são as Zonas de Convergência do Atlântico Sul, as ZCAS. 
 
As ZCAS compõem o principal sistema meteorológico do verão no Brasil e são responsáveis por um período prolongado de chuva frequente no Norte, Centro-Oeste e Sudeste. Elas se estendem desde a Amazônia e, neste momento, pegam, justamente, a faixa no sul da Bahia. 
 
“Quando se formam essas ZCAS, elas causam de três a cinco dias de chuva. Em novembro, nós tivemos cerca de três a quatro ZCAS e, agora, em dezembro, já é a terceira que está sendo formada. Essa chuva vai se acumulando e por mais que fique um ou dois dias sem chover, mas o fato de nos dias anteriores já ter esses acumulados, mantém essa questão de alagamentos e transbordamentos”, diz. Além das ZCAS, a temperatura do mar nos oceanos Pacífico e Atlântico contribuiu para potencializar as condições das chuvas. 
 
Ela diz que a expectativa para os próximos dias não é positiva. Deve chover no sul da Bahia, inclusive, na virada do ano. Segundo ela, a projeção a médio prazo indica que as chuvas continuarão ocorrendo.  “O verão começou dia 21 de dezembro e vai até o dia 20 de março. O verão é a estação mais chuvosa comparada com as outras. O prognóstico climático ainda está indicando que vai ter chuvas acima da média para essa região”, alerta. 
 
Muitas estações do Inmet registraram, em dezembro, recordes históricos de precipitação, alguns que duravam cerca de 50 anos. Nesse mês, em Lençóis, choveu 578 mm entre os dias 1º e 27. A média para dezembro é de 132,6 mm. Trata-se do maior acumulado para o mês desde 1961. 
 
Em Ilhéus, apenas no dia 25, feriado de Natal, choveu quase o mesmo que a média histórica para todo o mês de dezembro. O acumulado até aqui também já é recorde desde 1961. 

Copiar o texto
25/12/2021 09:30h

Inscrições vão até dia 29 de dezembro

Baixar áudio

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) abriu mais de 200 mil vagas para trabalhar no Censo 2022. A maioria (183.021) são para recenseadores que vão trabalhar na coleta de informações. As inscrições vão até dia 29 de dezembro.

Quem pretende se candidatar a recenseador precisa ter nível fundamental completo e, no ato da inscrição, o candidato deverá escolher a área de trabalho e em qual cidade realizará a prova. A taxa para participar da seleção é de R$ 57,50 e pode ser paga até 25 de janeiro. A prova será aplicada na manhã do dia 27 de março de 2022. 

A ideia da autarquia é que os moradores se inscrevam no processo seletivo para poderem atuar nas imediações de sua própria área. Por exemplo, para a cidade do Rio de Janeiro, há 6.480 vagas em 70 áreas de trabalho, inclusive em comunidades como Complexo da Maré (120 vagas), Vigário Geral (113), Rocinha (65), Complexo do Alemão (60), Cidade de Deus (35), morro do Borel (8) e Vidigal (6).

Covid-19: Fiocruz lança cartilha com recomendações para diminuir a transmissão do vírus nas festas de fim de ano

H3N2: nova mutação do vírus Influenza causa surtos de gripe pelo Brasil

Como os recenseadores são remunerados por produtividade, o IBGE preparou um simulador online, que calcula quanto o profissional vai receber de acordo com a quantidade de residências visitadas e pessoas recenseadas, considerando ainda a taxa de remuneração de cada setor censitário, o tipo de questionário preenchido (básico ou amostra) e o registro no controle da coleta de dados. A jornada de trabalho recomendável para os recenseadores é de, no mínimo, 25 horas semanais.

Outras oportunidades

Também estão abertas 18.420 oportunidades para agente censitário supervisor (ACS) e 5.450 para agente censitário municipal (ACM), ambas de nível médio. Para essas funções, a taxa de inscrição é de R$ 60,50, que deverá ser paga até 25 de janeiro. A prova também será realizada em 27 de março, mas na parte da tarde.

Os salários são de R$ 1.700 para agente censitário supervisor e R$ 2.100 para agente censitário municipal. Também terão direito a auxílio-alimentação, auxílio-transporte, auxílio pré-escola, férias e 13º salário proporcionais, de acordo com a legislação em vigor e conforme o estabelecido no edital. A taxa de inscrição é de R$ 60,50 e pode ser paga até 25 de janeiro. 

Outros dois editais disponibilizaram 1.781 vagas de nível médio para agente censitário de administração e informática (ACAI) e 31 para coordenador censitário de área (CCA). As inscrições custam R$ 44 para ACAI e de R$ 66 para CCA, e podem ser feitas até 10 de janeiro de 2022 no site do Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação (IBFC). 

Os salários são de R$ 1.700 para ACAI e de R$ 3.677,27 para CCA, com jornada de 40 horas semanais, sendo oito horas diárias para ambas as funções. 

Inscrições 

As inscrições para recenseador e agentes censitários podem ser feitas no site da Fundação Getúlio Vargas (FGV). Vale ressaltar que os processos seletivos permitem a solicitação da isenção do pagamento da taxa de inscrição para pessoas inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal, o CadÚnico.

Para recenseador, o pedido deverá ser feito até o dia 29 de dezembro. Após o envio dos dados e documentação necessária, a solicitação passará por uma análise da organizadora. O resultado preliminar dos pedidos de isenção de taxa sairá no dia 11 de janeiro, cabendo recursos nos dias 12 e 13 de janeiro. No dia 24 de janeiro, sai o resultado definitivo. Caso o pedido de isenção seja indeferido, o candidato poderá pagar a taxa total até o dia 25 de janeiro.

Vagas para trabalhar no Censo 2022 por estado

UF Agente Censitário Recenseadores Total
AC 106 680 786
AL 354 2638 2992
AM 390 2702 3092
AP 93 626 719
BA 1688 12485 14173
CE 962 7348 8310
DF 322 2631 2953
ES 482 3671 4153
GO 835 6503 7338
MA 751 5156 5907
MG 2590 18935 21525
MS 341 2524 2865
MT 474 3103 3577
PA 796 6121 6917
PB 499 3380 3879
PE 1032 7961 8993
PI 424 2633 3057
PR 1373 10490 11863
RJ 1877 16115 17992
RN 435 2931 3366
RO 224 1509 1733
RR 82 514 596
RS 1440 11232 12672
SC 902 6761 7663
SE 276 1922 2198
SP 4884 41076 45960
TO 238 1374 1612
Total Geral 23870 183021 206891
Copiar o texto
23/12/2021 20:30h

A iniciativa segue até as 22h de domingo, 26 de dezembro, e o balanço final será divulgado às 14h de segunda-feira (27)

Baixar áudio

A partir desta sexta-feira (24), véspera do Natal, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) realiza a Operação Natal 2021, para reforçar o policiamento e promover ações de segurança nas rodovias do país. 

O intuito é prevenir e reduzir o número de acidentes e combater práticas ilícitas, visto que, historicamente, há um aumento relevante do fluxo de veículos e de ônibus de passageiros nas rodovias do país durante esse período. Em 2020, a PRF fiscalizou mais de 153 mil veículos, quase 8 mil testes do etilômetro foram aplicados, o que resultou no flagrante de 695 motoristas que assumiram o volante depois de consumir bebida alcoólica. Além disso, houve 991 acidentes nas rodovias federais de todo o Brasil, sendo 271 acidentes graves.

Vai viajar no feriadão: confira as dicas para a sua segurança nas estradas

Entenda o que é transporte de cabotagem

No Mato Grosso do Sul, serão 500 agentes distribuídos em 9 delegacias e 23 Unidades Operacionais da PRF para fiscalização dos 4.078 quilômetros de rodovias federais, divididos num total de dez BRs. Em Pernambuco, a fiscalização será mais intensa nas BRs 232 e 423, em direção a Gravatá, Caruaru e Garanhuns, por serem os locais mais movimentados nessa época.

No Espírito Santo, a PRF atuará sob esquema especial, com reforço de policiamento e fiscalização para enfrentar a violência no trânsito nos locais onde, estatisticamente, são registradas as ocorrências de maior gravidade. Já em Santa Catarina, as rodovias federais que ligam a capital ao interior do estado serão as mais fiscalizadas. Segundo a PRF, a tendência é que aumente o fluxo de veículos nessa direção. 

Em Sergipe, a fiscalização será intensificada nas duas rodovias federais que cortam o estado: a BR-101 e a BR-235, mas ainda não se sabe quantos policiais irão participar da operação. 

“Vale lembrar que a Operação Natal é parte integrante da operação Rodo-Vida, que visa concentrar esforços inter e institucionais para reduzir a violência no trânsito. Com o intuito de garantir a fluidez no trânsito e a segurança, a PRF reforça o policiamento ostensivo em locais e horários identificados como de maior incidência de acidente graves e de criminalidade”, ressalta o Policial Rodoviário Federal, Inspetor Camargos.   

A iniciativa segue até as 22h de domingo, 26 de dezembro, e o balanço final da Operação Natal 2021 será divulgado às 14h de segunda-feira (27).

Via Dutra

A concessionária NovaDutra, que administra a Via Dutra - trecho da BR-116 que liga o Rio de Janeiro a São Paulo e é uma das mais movimentadas nesse período - vai  realizar, entre os dias 23 de dezembro e 2 de janeiro de 2022, uma operação especial de orientação e atendimento ao motorista que estiver de passagem.

“Nós teremos equipes extras em toda a rodovia, nos pontos mais conhecidos como as entradas para o litoral, para Campos dos Jordão, da Basílica de Aparecida, da Canção Nova. São esperados aproximadamente 1,5 milhão de veículos na Via Dutra, mas nós estamos preparados para atender essa demanda com qualidade”, esclarece Diêgo Dutra, coordenador de Interação da CCR NovaDutra.

A previsão de saída da capital fluminense é de 187 mil veículos para o feriado do Natal, entre quinta-feira (23) e sexta-feira (24), e de 192 mil veículos para o Réveillon, entre quinta (30) e sexta (31).

Monitoramento

Além dos agentes nas rodovias, os policiais rodoviários federais também ficam nas centrais de Comando e Controle, onde contam com a tecnologia das câmeras para monitorar, em tempo real, o comportamento dos motoristas e tudo o que acontece ao longo das estradas do Brasil. 

O monitoramento de todas as rodovias federais, estaduais e nacionais também é feito por rádio e telefone. Qualquer cidadão pode fazer denúncias ou passar informações sobre acidentes, problemas e crimes que ocorreram nas estradas pelos telefones 191 (PRF) ou 198 (PRE).

Cuidados

Para quem vai pegar a estrada, a PRF tem algumas recomendações para uma viagem segura, tanto na ida quanto na volta do feriado. 
Planeje sua viagem e faça a revisão de seu veículo. 

  • Todos os ocupantes do veículo devem portar documento de identificação, inclusive crianças e adolescentes.
  • Respeite os limites de velocidade estabelecidos para a via e obedeça às placas de sinalização.
  • O condutor e todos os passageiros do veículo devem utilizar o cinto de segurança. Crianças menores de 7 anos e meio de idade devem utilizar o equipamento obrigatório compatível (bebê conforto, cadeirinha e/ou assento de elevação).
  • Ultrapasse sempre pela esquerda e somente em locais permitidos, onde haja todas as condições necessárias para execução da manobra com segurança.
  • Mantenha uma distância segura do veículo que vai à frente
  • Cuidado com os pedestres, principalmente em perímetros urbanos cortados por rodovias. 
  • Caso ocorra chuva durante sua viagem, acione os limpadores de para-brisa, diminua a velocidade e aumente a distância em relação ao veículo que segue à sua frente. 

Para os motociclistas, as recomendações são: sempre usar o capacete e manter distância das laterais traseiras dos veículos; não trafegue próximo a caminhões; sempre circule com o farol ligado, para facilitar a visualização da motocicleta pelos pedestres e pelos veículos que estão no sentido contrário.

Copiar o texto
Brasil
19/12/2021 17:51h

Em entrevista ao portal Brasil61.com, Dario Rais Lopes, disse que pandemia, dificuldades financeiras e inexperiência da companhia aérea compunham roteiro previsível

Baixar áudio

A suspensão das operações da ITA, companhia aérea da Itapemirim, e o cancelamento de mais de 500 voos que a empresa faria até o fim de dezembro eram previsíveis, afirmou Dario Rais Lopes, ex-secretário de Aviação Civil do governo Temer, em entrevista ao portal Brasil61.com, neste domingo (19). 

O grupo Itapemirim, dono da ITA, está em processo de recuperação judicial desde 2016 e, segundo revelou o portal UOL, devia cerca de R$ 253 milhões aos seus credores em setembro, além de mais de R$ 2 bilhões em impostos. Apesar disso, a empresa decidiu operar também no transporte aéreo, atividade que teve início em junho deste ano. 

Para Dario, as dificuldades financeiras e a inexperiência do grupo no mercado de aviação, aliadas à pandemia da Covid-19, ajudam a explicar porquê a interrupção das atividades pela ITA compunham um roteiro anunciado. “O desfecho era algo que a gente esperava. Não se esperava algo diferente, porque é um setor de alto investimento e se trata de um player que não tinha fôlego para tocar o negócio. Era uma questão de tempo isso que aconteceu”, avalia. 

“Num momento em que se está rediscutindo a organização da economia do pós-pandemia, em que o setor mais afetado foi o da aviação civil, me aparece uma empresa, cujo lastro é um grupo em operação judicial. Tem tudo pra dar errado”, completa. 

Após ser informada da suspensão das operações pela Itapemirim, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) suspendeu a licença da companhia, o chamado Certificado de Operador Aéreo. A Anac também determinou que a ITA prestasse atendimento a todos os passageiros de forma imediata e comunicasse, individualmente, sobre os cancelamentos de voos, reacomodação e reembolso dos bilhetes. 

A interrupção das atividades da companhia aérea pegou muitos passageiros de surpresa. No Aeroporto de Guarulhos, por exemplo, pessoas aguardavam a hora do embarque quando receberam a informação do cancelamento das viagens. Segundo o site da Anac, a Ita faria mais de 500 voos até dezembro. Às vésperas do Natal e do Ano Novo, milhares de passageiros ficaram sem saber o que fazer. 

Segundo Dario, do ponto de vista da regulação e até da atuação da Anac após o comunicado da ITA, os usuários do transporte aéreo estão bem protegidos contra essas situações, pois as normas garantem a reacomodação ou reembolso do valor gasto pelos passageiros. 

No entanto, ele acredita que o problema envolvendo a Itapemirim e outras companhias no passado, como a Varig e a Transbrasil, evidencia a necessidade de processos mais criteriosos no momento em que as empresas tentam obter a licença para operar no mercado doméstico de aviação. 

“Eu acho que a Anac está trabalhando corretamente. O problema tem um vício de origem. O que tem de ser revisto é o processo de autorização. Ele tem de ser mais seletivo, tem de incluir, na sua origem, já os compromissos, talvez um fundo, alguma coisa que permita minimizar esse tipo de problema. Eu penso que o foco da questão não seja a proteção do passageiro, mas sim você permitir que quem entre no mercado já entre com fôlego e reserva para mitigar esse tipo de problema”, afirma. 

A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa da Anac para saber o que a agência fez no período que antecedeu a suspensão das operações pela Itapemirim, mas até o fechamento da matéria não obteve resposta. 

Cancelamento de voos da Itapemirim pode afetar até 80 mil passageiros

Atendimento

Na tarde de sábado, o grupo Itapemirim comunicou que ampliou os canais de atendimento aos passageiros prejudicados pela suspensão das atividades da companhia aérea. Além do e-mail falecomaita@voeita.com.br, os usuários podem tentar contato, das 6h às 21h, pelo telefone 0800 723 2121 e pelo chat do site www.voeita.com.br

A empresa orienta que apenas os clientes que estão fora de sua cidade de domicílio, e precisam retornar para casa, entrem em contato pelos canais de atendimento para conseguirem a reacomodação em outra companhia. 

Aqueles que estão com passagens de ida e volta compradas vão receber o reembolso integral dos valores, promete a empresa. Neste caso, o passageiro deve procurar a sua agência de viagem, enviar um e-mail para reembolso@voeita.com.br com o nome completo e número do localizador da reserva ou fazer uma solicitação pelo site da companhia, o www.voeita.com.br.

Confira o passo a passo abaixo:

  • Clique em “Meus Voos”;
  • Faça o login com o seu usuário e senha;
  • Clique na opção "Reemissão/Remarcação/Reembolso";
  • Selecione o seu ticket;
  • Selecione a opção “Reembolso”. 

O grupo Itapemirim orienta aos passageiros que têm viagens programadas para não tentarem fazer check-in online, nem comparecer aos aeroportos sem entrar em contato com a empresa. 

Copiar o texto
Brasil 61