17/05/2022 19:12h

No mercado financeiro, o preço da carcaça suína especial teve queda de 2,25% e o produto é negociado a R$ 9,14.

Baixar áudio

A cotação da arroba do boi gordo começou a quarta-feira (18) com queda de 3,41% e o produto é negociado a R$ 323,40 em São Paulo. 

O preço do quilo do frango congelado teve queda de 0,65% e o produto é vendido a R$ 7,60. O preço do quilo do frango resfriado também teve queda de 0,65% e a mercadoria é comercializada a R$ 7,60.

Investir em saneamento pode despoluir rios e aumentar a disponibilidade de água
 

DRAWBACK: Vai à sanção MP que prorroga isenção de tributos para exportadoras
 

No mercado financeiro, o preço da carcaça suína especial teve queda de 2,25% e o produto é negociado a R$ 9,14. Em Minas Gerais, o suíno vivo é vendido a R$ 6,27. No

Paraná, o produto é comercializado à vista a R$ 4,96. 

Os valores são do Cepea.
 

Copiar o texto
17/05/2022 19:09h

No mercado financeiro, o preço da saca de 60 quilos do milho teve aumento de 1,27% e ela é negociada a R$ 89,09.

Baixar áudio

A saca de 60 quilos do café arábica começou a quarta-feira (18) com alta de 0,02% no preço e é vendida a R$ 1.308,24 na cidade de São Paulo. Já o café robusta teve redução no valor. A baixa foi de 0,31% e a saca é comercializada a R$ 756,07 para retirada no Espírito Santo.

O açúcar cristal teve diminuição de 0,37% no preço e o produto é vendido a R$ 130,51 em São Paulo. Em Santos, no litoral paulista, o valor da saca de 50 quilos, sem impostos, subiu 0,51% e a mercadoria é comercializada a R$ 125,35.

MAPA entrega primeira etapa de plataforma para controle agropecuário
 

Bula digital contará com ilustrações e conversão do texto em áudio ou vídeo

No mercado financeiro, o preço da saca de 60 quilos do milho teve aumento de 1,27% e ela é negociada a R$ 89,09. 

Os valores são do Cepea.

 

Copiar o texto
17/05/2022 01:10h

Câmara dos Deputados aprovou projeto do autocontrole para produtores e industriais da agropecuária

Baixar áudio

Já está em funcionamento a primeira etapa da Plataforma do Autocontrole na defesa agropecuária, elaborada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Na prática, produtores e industriais serão os responsáveis pelo cumprimento das normas da agropecuária, assim como é feito com a declaração do Imposto de Renda da Pessoa Física, por exemplo. Se for encontrada alguma irregularidade, toda a cadeia produtiva passará por uma fiscalização mais rígida.

O diretor do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Vegetal (Dipov) da pasta, Glauco Bertoldo, afirma que a iniciativa do autocontrole é uma forma de desonerar o setor produtivo de controles do estado considerados desnecessários.

“[A plataforma] é baseada na transparência de informações que levará a uma presença menor do estado, no sentido de que o estado não precisará se fazer presente naquelas atividades ou ações de baixo risco, ou que estão plenamente monitoradas pelo setor regulado.”

Neste mês de maio, a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania da Câmara dos Deputados aprovou o projeto de lei (PL 1293/2021) que estabelece a fiscalização agropecuária por meio do autocontrole. O texto aprovado é um substitutivo apresentado pelo deputado federal Domingos Sávio (PL-MG). Segundo o parlamentar, o PL representa um grande avanço para a desburocratização.

“Hoje, uma empresa para produzir determinados rótulos ainda tem que mandar um processo para o Ministério da Agricultura, para que o rótulo seja analisado pela equipe técnica, autorizado e depois a empresa possa produzir o rótulo. Isso é uma bobagem, porque a lei já define o que tem que ter no rótulo. Então, é preciso dar autonomia para a empresa, para que, respeitando a lei, ela elabore o rótulo de acordo com a marca do seu produto, com as características da sua logomarca e, obviamente, com todas as informações necessárias para o consumidor e que a lei prevê.”

Segundo Glauco Bertoldo, a primeira etapa da plataforma de autocontrole consiste na parte estrutural do ecossistema de tecnologia da informação, um ambiente formado por vários sistemas integrados que resultam na Plataforma do Autocontrole.

“Nós desenvolvemos a primeira etapa, que é mais estrutural. Então os pontos de BigData, o cérebro dessa iniciativa, que é todo esse repositório de dados da defesa agropecuária [foi desenvolvido]; as primeira APIs, que são as interfaces de comunicação com o setor regulado, também já está entregue; o primeiro componente específico laboratorial também já está completamente entregue”. Segundo ele, a segunda etapa, que deverá ser entregue em dois meses, vai tratar sobre o componente específico de comércio exterior

Glauco afirma que a ferramenta já está em funcionamento, com os primeiros processos regulados pelo órgão de controle. Esses pilotos servem de prova para que outros processos da defesa agropecuária sejam desenvolvidos em grande escala.

DEFESA AGROPECUÁRIA: MAPA entrega primeira etapa da Plataforma do Autocontrole

Autocontrole da Fiscalização Agropecuária

Segundo o deputado Domingos Sávio, a medida não transfere a regulamentação para o poder privado - que vai continuar no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), mas oferece mais autonomia para que o setor privado faça o autocontrole, observando as leis que continuam na autoridade do poder público.

“O meu projeto garante a manutenção do serviço de fiscalização, para verificar se aquele produtor, que exerce autocontrole, está fazendo isso de acordo com a lei. O meu projeto é dar mais liberdade e agilidade, tirando a burocracia, mas mantém os cuidados com a saúde, com a higiene, e valoriza a vigilância sanitária municipal e federal, que vai continuar exercendo o seu papel.”

O substitutivo estabelece a criação de plataformas no Mapa para hospedar toda a documentação de processos das empresas que produzem alimentos de origem animal e vegetal.

“Com esse novo projeto do autocontrole, a plataforma nacional vai hospedar todos os serviços de inspeção municipal. Então, um produtor rural, com a sua microempresa, criou um determinado produto, um queijo, e conseguiu o registro no Serviço de Inspeção Municipal, automaticamente aquilo estará hospedado na plataforma, e ele poderá vender aquele queijo em qualquer parte do território nacional.”

O PL segue agora para análise no Senado Federal.

FEBRE AFTOSA: Primeira etapa de vacinação contra doença vai até 31 de maio

Copiar o texto
16/05/2022 19:07h

No mercado financeiro, o preço da carcaça suína especial teve queda de 3,01% e o produto é negociado a R$ 9,35

Baixar áudio

A cotação da arroba do boi gordo começou a terça-feira (17) com alta de 2,24% e o produto é  negociado a R$ 334,80 em São Paulo. 

O preço do quilo do frango congelado teve alta de 0,13% e o produto é vendido a R$ 7,65. O preço do quilo do frango resfriado também teve alta de 0,13% e a mercadoria é comercializada a R$ 7,65.

RETA FINAL: Contribuintes têm até o dia 31 para entregar declaração do Imposto de Renda 2022
 

REIQ: Revogação trará insegurança jurídica, afirma presidente da Abiquim
 

No mercado financeiro, o preço da carcaça suína especial teve queda de 3,01% e o produto é negociado a R$ 9,35. Em Minas Gerais, o suíno vivo é vendido a R$ 6,44. No Paraná, o produto é comercializado à vista a R$ 5,25 

Os valores são do Cepea.

 

Copiar o texto
16/05/2022 19:04h

No mercado financeiro, a saca de 60 quilos do milho teve alta de 1,65% e é negociada a R$ 87,97.

Baixar áudio

A saca de 60 quilos do café arábica começou a terça-feira (17) com alta de 3,82% no preço e é vendida a R$ 1.307,93 na cidade de São Paulo. O café robusta também teve aumento no valor. A alta foi de 0,77% e a saca é comercializada a R$ 758,44, para retirada no Espírito Santo.

O açúcar cristal teve queda de 0,73% no preço e o produto é vendido a R$ 131,00 em São Paulo. Em Santos, no litoral paulista, o valor da saca de 50 quilos, sem impostos, subiu 0,20% e a mercadoria é comercializada a R$ 124,71.

Brasil precisa qualificar 9,6 milhões de trabalhadores em ocupações industriais até 2025

CONTRUÇÃO CIVIL: Melhor desempenho para o mês de fevereiro dos últimos 10 anos
 

No mercado financeiro, a saca de 60 quilos do milho teve alta de 1,65% e é negociada a R$ 87,97.

Os valores são do Cepea.

 

Copiar o texto
15/05/2022 19:33h

No mercado financeiro, o preço da carcaça suína especial teve queda de 1,83% e o produto é negociado a R$ 9,64.

Baixar áudio

A cotação da arroba do boi gordo começou a segunda-feira (16) com alta de 0,63% e o produto é negociado a R$ 327,45 em São Paulo. 

O preço do quilo do frango congelado não sofreu variação e o produto ainda é vendido a R$ 7,64. O preço do quilo do frango resfriado também continuou o mesmo e a mercadoria ainda é comercializada a R$ 7,64.

IBGE 2022: resultado publicado nesta sexta feira (13), confira
 

Piso da enfermagem, brasileiro já pagou mais de R$ 1 tri em impostos e eliminação da malária até 2035
 

No mercado financeiro, o preço da carcaça suína especial teve queda de 1,83% e o produto é negociado a R$ 9,64. Em Minas Gerais, o suíno vivo é vendido a R$ 6,68. No Paraná, o produto é comercializado à vista a R$ 5,62. 

Os valores são do Cepea.
 

Copiar o texto
15/05/2022 19:10h

No mercado financeiro, o preço da saca de 60 quilos do milho teve alta de 0,16% e é negociada a R$ 86,54.

Baixar áudio

A saca de 60 quilos do café arábica começou a segunda-feira (16) com queda de 0,93% no preço e é vendida a R$ 1.259,80 na cidade de São Paulo. O café robusta também teve redução no valor. A baixa foi de 0,33% e a saca é comercializada a R$ 752,61 para retirada no Espírito Santo.

O açúcar cristal teve um aumento de 0,57% no preço e o produto é vendido a R$ 131,96 em São Paulo. Em Santos, no litoral paulista, o valor da saca de 50 quilos, sem impostos, caiu 0,52% e a mercadoria é comercializada a R$ 124,46.

Defesa Civil Nacional alerta para onda de frio intenso em grande parte do país
 

INDÚSTRIA QUÍMICA: MP que extingue Reiq deve ser votada na próxima semana
 

No mercado financeiro, o preço da saca de 60 quilos do milho teve alta de 0,16% e é negociada a R$ 86,54.

Os valores são do Cepea.
 

Copiar o texto
14/05/2022 16:16h

Em relação ao milho, por exemplo, a expectativa é de uma produção total de 114,58 milhões de toneladas

Baixar áudio

A produção de grãos no Brasil deve chegar a 270,2 milhões de toneladas para a safra 2021/22. É o que projeta a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). O resultado esperado deve render um volume 0,3% superior ao registrado no último ciclo. 

Os dados foram apresentados no 8º Levantamento da Safra de Grãos 2021/22, divulgado no último dia 12. Segundo o gerente de Acompanhamento de Safras da Conab, Rafael Fogaça, a elevação é motivada pela alta na área de soja, e pelo melhor desenvolvimento no final do ciclo das lavouras. 

“Houve um aumento mais significativo no milho segunda safra, assim como na soja. O produtor brasileiro está ficando cada vez mais eficiente, tirando mais de uma safra da área agrícola. Quanto à distribuição por produto e por Unidade da Federação, soja e milho ainda são as culturas em destaque. O Mato Grosso continua sendo o maior produtor de grãos do país, seguido do Paraná”, destaca. 

Em relação ao milho, a projeção para a produção total é de 114,58 milhões de toneladas. Na primeira safra, a colheita do produto estava em 24,67 milhões de toneladas, enquanto que, na segunda, a previsão é de uma produção de 87,69 milhões de toneladas. Na terceira, por sua vez, há expectativa de 2,21 milhões de toneladas. 

Para a Conab, há, ainda, recuperação considerável na produtividade do cereal com relação à temporada 2020/21, com consequente ampliação na colheita. 
No caso do feijão, há uma confirmação em andamento de uma boa segunda safra. O clima mais favorável propicia um maior rendimento dos grãos. Esse cenário acarreta uma expectativa de colheita de 1,4 milhão de toneladas. Ou seja, deve haver um salto de 23,3% em relação ao mesmo período da safra 2020/21.

Segurança hídrica: ABC paulista tem a maior planta de reúso de água da América Latina

INDÚSTRIA QUÍMICA: MP que extingue Reiq deve ser votada na próxima semana

As lavouras de algodão também contaram com clima favorável para o desenvolvimento da fibra, o que resulta em uma produção de 2,82 milhões de toneladas de pluma. Caso a projeção seja confirmada, o volume esperado será o segundo maior já registrado na série histórica, com 19,5% a mais do que na safra passada. 

Para a soja, a estimativa de produção está em 123,8 milhões de toneladas, que corresponde a uma queda de 10,4% em relação à safra anterior. No caso do arroz, a colheita atinge 91% da área. A projeção da Conab é de que o Brasil produza 10,7 milhões de toneladas, recuo de 9,1% em relação ao volume produzido na safra passada. 

A redução registrada para estes grãos neste ciclo é justificada pela estiagem nos estados da região Sul do país e em parte do Mato Grosso do Sul entre o fim de 2021 e início de 2022.

Já o panorama de mercado de trigo estimula os produtores. A estimativa de área plantada no Brasil teve um salto de 3%. O destaque vai para o Rio Grande do Sul, onde deve haver uma elevação de 9,7%, saindo de 1,16 milhão de hectares para 1,27 milhão de hectares.
 

Copiar o texto
12/05/2022 19:53h

No mercado financeiro, o preço da carcaça suína especial não sofreu alteração e o produto ainda é negociado a R$ 9,82.

Baixar áudio

A cotação da arroba do boi gordo começou a sexta-feira (13) com alta de 4,58% e o produto é negociado a R$ 325,40 em São Paulo. 

O preço do quilo do frango congelado teve queda de 2,30% e o produto é vendido a R$ 7,64. O preço do quilo do frango resfriado também teve queda de 2,30% e a mercadoria é comercializada a R$ 7,64.

Brasileiro já pagou mais de R$ 1 trilhão em impostos apenas em 2022
 

Governo Federal capacita municípios a elaborarem Planos de Mobilidade Urbana

No mercado financeiro, o preço da carcaça suína especial não sofreu alteração e o produto ainda é negociado a R$ 9,82. Em Minas Gerais, o suíno vivo é vendido a R$ 6,93.

No Paraná, o produto é comercializado à vista a R$ 5,62.

Os valores são do Cepea.
 

Copiar o texto
12/05/2022 19:47h

No mercado financeiro, o preço da saca de 60 quilos do milho teve alta de 0,37% e é negociada a R$ 86,40

Baixar áudio

A saca de 60 quilos do café arábica começou a sexta-feira (13) com queda de 1,25% no preço e é vendida a R$ 1.271,64 na cidade de São Paulo. O café robusta também teve redução no valor. A baixa foi de 0,19% e a saca é comercializada a R$ 755,11 para retirada no Espírito Santo.

O açúcar cristal teve diminuição de 1,18% no preço e o produto é vendido a R$ 131,21 em São Paulo. Em Santos, no litoral paulista, o valor da saca de 50 quilos, sem impostos, caiu 3,85% e a mercadoria é comercializada a R$ 125,11.

TRÂNSITO: Motoristas que ficarem um ano sem multas poderão receber benefícios

Brasil busca a eliminação da malária até 2035
 

No mercado financeiro, o preço da saca de 60 quilos do milho teve alta de 0,37% e é negociada a R$ 86,40. 

Os valores são do Cepea.
 

Copiar o texto
Brasil 61